JBS, maior empresa de carnes do mundo, afetada por ‘ataque de cibersegurança’ e turnos cancelados

Por Jack Phillips

A JBS  Foods, maior fornecedora de carne do mundo, disse em um  comunicado  que foi alvo de um “ataque organizado à segurança cibernética ” no domingo.

A empresa disse que alguns de seus servidores na Austrália e na América do Norte foram afetados pelo ataque e “agiu imediatamente”, suspendendo todos os sistemas afetados e notificando as autoridades competentes.

“Os servidores de backup da empresa não foram afetados e ela está trabalhando ativamente com uma empresa de resposta a incidentes para restaurar seus sistemas o mais rápido possível”, disse o comunicado.

A JBS, uma empresa brasileira com sede na América do Norte localizada no Colorado, acrescentou que “não tem conhecimento” de nenhum dado de funcionário, cliente ou fornecedor que foi violado ou obtido durante o ataque.

“A resolução do incidente levará tempo”, acrescentou a JBS, “o que pode atrasar certas transações com clientes e fornecedores”.

De acordo com um site de publicações do setor,  BeefCentral , as operações de processamento de carne da empresa foram “paralisadas” pelo ataque cibernético e observou que “não estava relacionado ao ativismo animal ou ambiental”.

Bloomberg News, citando dirigentes sindicais em um post no Facebook, relatou que alguns turnos em suas fábricas nos Estados Unidos e Canadá foram cancelados devido ao incidente.

Scott Payne, porta-voz do United Food and Commercial Workers Canada Union Local 401, disse à Bloomberg que uma fábrica em Brooks, Alberta, Canadá, foi fechada. “De fato, as operações da usina foram encerradas por hoje”, disse.

Não está claro como o ataque cibernético afetará os clientes ou se desencadeará uma escassez de carne. A JBS não forneceu um prazo para que seus sistemas voltem a ficar online. Também não está claro quem executou o ataque.

A JBS Foods, diz ser uma das maiores empresas de alimentos do mundo, tem operações em 15 países e clientes em cerca de 100 países,  segundo  o site da empresa. As marcas incluem Pilgrim’s, Great Southern e Aberdeen Black.

No mês passado, o Colonial Pipeline, um importante sistema de transporte de combustível na costa leste dos Estados Unidos, foi comprometido em um ataque de ransomware que as autoridades do FBI acreditam ter se originado na Rússia e no Leste Europeu. O gasoduto ficou ocioso por cerca de uma semana, causando um aumento nos preços da gasolina e na escassez de combustível em vários estados do sudeste.

O FBI disse que o grupo DarkSide, com sede na Rússia, foi a entidade responsável pela violação.

A Microsoft  disse no final de maio  que os hackers responsáveis ​​pela violação do SolarWinds também visaram aproximadamente 3.000 contas de e-mail em várias organizações.

“Observamos ataques cibernéticos do ator da ameaça Nobelium contra agências governamentais, think tanks, consultores e organizações não governamentais”, disse a Microsoft, acrescentando que o Nobelium opera na Rússia. “Essa onda de ataques teve como alvo aproximadamente 3.000 contas de e-mail em mais de 150 organizações diferentes. Embora as organizações nos Estados Unidos tenham recebido a maior proporção de ataques, as vítimas visadas abrangem pelo menos 24 países. ”

O Epoch Times entrou em contato com a JBS para os comentários.

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas