Ivermectina é ‘segura’ e ‘eficaz’ para o tratamento da Ômicron, afirma empresa japonesa

Empresa declarou que a Ivermectina possui o 'mesmo efeito antiviral' em todas as 'cepas mutantes'

Por Naveen Athrappully 

Um conglomerado japonês descobriu que o medicamento antiparasitário Ivermectina é eficaz e seguro para o tratamento da variante Ômicron do coronavírus, de acordo com pesquisa não clínica conjunta.

Kowa Co. Ltd., um conglomerado com interesses em comércio, hospitalidade e eletrônicos, juntamente com aplicações médicas e de saúde, emitiu um comunicado à imprensa (pdf), no dia 31 de janeiro, afirmando que a Ivermectina foi considerada eficaz contra a Ômicron.

Os representantes da Kowa não responderam a um pedido por comentários até o momento.

A empresa, trabalhando com a Universidade Kitasato, com sede em Tóquio, declarou que a Ivermectina possui o “mesmo efeito antiviral” em todas as “cepas mutantes”, incluindo Alpha, Delta e Ômicron. Kowa acrescentou que a Ivermectina suprime a invasão do vírus e inibe sua replicação.

“Espera-se que [a Ivermectina] seja aplicada como medicamento terapêutico (comprimido) para todas as novas doenças infecciosas por coronavírus”, afirmou o relatório.

A Ivermectina é usada pela Organização Mundial da Saúde há mais de 30 anos para tratar infecções parasitárias. Voluntários distribuíram a droga em países africanos onde se mostrou extremamente eficaz, segundo o relatório da Kowa.

No entanto, o tratamento foi envolvido em controvérsia nos últimos tempos, pois a Food and Drug Administration (FDA) dos EUA não aprovou o uso de Ivermectina como tratamento para a COVID-19, embora o medicamento seja usado em humanos para tratar uma variedade de doenças e condições.

A FDA se recusou a responder a uma solicitação do Ato de Liberdade de Informação (FOIA) solicitando detalhes sobre quaisquer relatos de efeitos colaterais relacionados ao uso de Ivermectina no tratamento da COVID-19 enquanto denunciava publicamente seu uso.

O governo federal paga hospitais em todo o país para tratar pacientes com a COVID-19, mas o pagamento está vinculado a métodos aprovados e a Ivermectina não faz parte do protocolo.

No entanto, as famílias desesperadas para salvar seus entes queridos estão recorrendo a infiltrar a droga em hospitais como um último esforço que muitas vezes acaba ajudando a pessoa infectada a se recuperar.

Todos ou parte de 22 países ao redor do mundo aprovaram o uso de Ivermectina no tratamento da COVID-19, com base em vários estudos. O Japão ainda não aprovou a Ivermectina para o tratamento da COVID-19.

Um projeto de lei foi apresentado para tornar Nova Hampshire o primeiro estado do país a tornar a Ivermectina parte dos tratamentos aprovados para a COVID-19 e oferecê-la como um medicamento de venda livre.

“Não tenho absolutamente nenhuma dúvida de que vidas serão salvas se a Ivermectina de grau humano estiver disponível para pacientes com a COVID”, declarou a deputada estadual Leah Cushman, republicana e também enfermeira, ao Epoch Times sobre sua proposta de lei HB3005.

Os detratores do uso de Ivermectina alegaram que a droga é extremamente perigosa. “Eu nunca gostaria que este medicamento fosse prescrito para mim ou minha família e tomaria medidas legais contra qualquer pessoa que recomendasse isso a meus entes queridos”, escreveu o Dr. David Levine, do Dartmouth-Hitchcock Medical Center, em seu depoimento escrito sobre o projeto.

O Dr. Paul Marik, um defensor do uso de Ivermectina, testemunhou que a Ivermectina “é uma das drogas mais seguras na face deste planeta”.

Marik, que é co-fundador do grupo de defesa composto por médicos da linha de frente para cuidados críticos à COVID-19, afirmou que a Ivermectina é aprovada para o tratamento de vírus em 79 países.

“Então, de alguma forma, japoneses, indianos e brasileiros podem tolerá-lo com segurança, mas é tóxico para os americanos. Você tem que estar brincando”, afirmou Marik.

Marik foi forçado a renunciar ao cargo na Eastern Virginia Medical School devido a batalhas legais relacionadas ao uso de tratamentos alternativos para a COVID-19, incluindo o uso de Ivermectina.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas