Itália fecha todas as escolas diante do surto de coronavírus

Várias cidades e vilas do epicentro do surto foram isoladas por bloqueios de estradas da polícia e do exército

Por Jack Phillips

O governo da Itália anunciou que fechará todas as escolas e universidades de todo o país para impedir a disseminação do coronavírus COVID-19 depois que milhares de casos foram registrados em mais de uma semana.

Todas as escolas estarão fechadas a partir de quinta-feira, 5 de março, e ficarão fechadas até sábado, 15 de março, de acordo com o primeiro-ministro Giuseppe Conte e a ministra da Educação Lucia Azzolina. A mudança afetará cerca de 8 milhões de estudantes no país.

“Espero que os alunos possam voltar à escola o mais rápido possível … meu compromisso é garantir que o serviço público essencial, embora à distância, seja fornecido a todos os nossos alunos”, disse Azzolina em entrevista coletiva.

A Itália já suspendeu as escolas na parte norte do país, local de um surto de COVID-19. No geral, mais de 3.000 casos do vírus foram confirmados no país – o maioria na Europa – juntamente com 107 mortes, informou a agência de saúde do país.

“Nosso foco é adotar todas as medidas para conter ou desacelerar o vírus, porque temos um sistema de saúde que, por melhor e eficiente que seja, corre o risco de ser sobrecarregado”, disse Conte, segundo o Wall Street Journal.

BRAZIL-CHINA-HEALTH-CORONAVIRUS
Passageiros usam máscaras ao desembarcarem de um voo da Itália no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em Guarulhos, São Paulo, Brasil, em 2 de março de 2020 (Nelson Almeida / AFP via Getty Images)

Várias cidades e vilas do epicentro do surto foram isoladas por bloqueios de estradas da polícia e do exército em uma área perto de Milão.

“As crianças poderiam ampliar a epidemia e levar a doença aos avós. Paradoxalmente, o fechamento das escolas ajuda a proteger os idosos”, disse Giovanni Rezza, chefe do departamento de doenças infecciosas do Instituto Nacional de Saúde da Itália, em entrevista coletiva.

“Espero que os alunos possam voltar à escola o mais rápido possível … meu compromisso é garantir que o serviço público essencial, embora à distância, seja fornecido a todos os nossos alunos”, disse Azzolina.

A medida, acrescentou, que o fechamento de universidades e escolas “não foi uma decisão simples” depois que ouviram a opinião das autoridades de saúde.

An Italian army soldier blocks off a road in Italy
Um soldado do exército italiano bloqueia uma estrada que leva à aldeia de Vo’Euganeo, na região norte do Veneto, na Itália, em 28 de fevereiro de 2020 (Claudio Fulan / LaPresse via AP)

“Decidimos suspender as atividades de ensino de amanhã até 15 de março. É uma decisão de impacto. Espero que os alunos voltem à escola o mais rápido possível ”, disse ela, de acordo com o The Guardian.

As autoridades de saúde já orientaram as pessoas a não usarem a tradicional saudação italiana de beijar na bochecha e abraçar. Eles também foram incentivados a evitar áreas públicas e movimentadas e a uma distância de dois metros um do outro.

Enquanto isso, indivíduos com mais de 65 anos são incentivados a ficar em casa, pois são o grupo que mais corre o risco de sucumbir ao vírus, disseram autoridades.

 
Matérias Relacionadas