Israel mostra que acordo com Irã foi baseado em uma mentira, diz secretário de Estado dos EUA

Documentos mostram que o Irã mantém um programa secreto de armas nucleares há anos

Por Ivan Pentchoukov, Epoch Times

Documentos iranianos obtidos pela inteligência israelense mostram que o Irã mentiu para o mundo sobre seu programa nuclear, segundo declaração de Mike Pompeo, secretário de Estado do governo dos Estados Unidos.

“Os documentos obtidos por Israel de dentro do Irã mostram claramente que o regime iraniano não estava dizendo a verdade”, disse Pompeo. “Os documentos mostram que o Irã mantém um programa secreto de armas nucleares há anos”.

Em uma aparição televisiva na segunda-feira (30/04), o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu apresentou o que afirmou serem documentos iranianos obtidos em uma arriscada operação de inteligência israelense, que demonstram que o Irã estava desenvolvendo armas nucleares antes do acordo que assinou em 2015 com os Estados Unidos e as potências mundiais.

Netanyahu informou em março ao presidente Donald Trump sobre a evidência de um programa secreto de armas nucleares iranianas, disse um alto funcionário do governo de Israel.

Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, fala durante coletiva de imprensa no Ministério da Defesa em Tel Aviv (Amir Cohen/Reuters)
Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, fala durante coletiva de imprensa no Ministério da Defesa em Tel Aviv (Amir Cohen/Reuters)

Trump concordou que Israel divulgasse a informação antes de 12 de maio, data em que deve decidir se os Estados Unidos deixarão o acordo nuclear com o Irã, disse o representante israelense.

Teerã, que nega ter alguma vez perseguido o desenvolvimento de armas nucleares, descreveu Netanyahu como “a criança que chora por causa do lobo” e chamou sua apresentação de propaganda.

Sob o acordo nuclear firmado pelo Irã e seis grandes potências — Estados Unidos, Reino Unido, China, França, Alemanha e Rússia — Teerã concordou em limitar seu programa nuclear em troca de atenuar as sanções econômicas e outras que foram impostas.

Um membro de alto escalão do governo israelense disse que Israel já sabia sobre o arquivo iraniano há um ano, tendo-o obtido através de uma operação de inteligência realizada em fevereiro e que informou Trump sobre isso em uma reunião em Washington, em 5 de março.

Colaborou: Agência Reuters

 
Matérias Relacionadas