Iowa proíbe que atletas nascidos do sexo masculino participem de esportes femininos nas escolas

O projeto de lei “protege os programas esportivos femininos em todos os níveis escolares, incluindo o ensino médio e universitário”

Por Katabella Roberts 

A governadora de Iowa, Kim Reynolds, assinou na quinta-feira um projeto de lei que proíbe atletas nascidos do sexo masculino de competir em programas esportivos femininos na escola e na faculdade.

De acordo com o projeto, conhecido como HF 2416, escolas públicas e privadas e faculdades comunitárias, bem como faculdades e universidades afiliadas à National Collegiate Athletic Association (NCAA) e à National Association of Intercollegiate Athletics (NAIA), são obrigadas a designar eventos esportivos como masculino, feminino ou misto.

De acordo com o governador, o projeto de lei “protege os programas esportivos femininos em todos os níveis escolares, incluindo o ensino médio e universitário em Iowa”, e permite que os alunos participem de programas esportivos com base no sexo biológico listado em sua certidão de nascimento.

A medida significa que apenas os alunos que são do sexo feminino de acordo com sua certidão de nascimento serão elegíveis para competir em esportes femininos e mulheres e meninas trans não poderão mais participar dos esportes, com efeito imediato.

Reynolds assinou o projeto de lei apenas um dia após o Senado estadual aprovar a medida em uma votação. Os democratas de Iowa se opuseram à legislação, mas não tiveram votos para impedi-la de avançar na legislatura controlada pelos republicanos.

“Esta é uma vitória para o esporte feminino em Iowa. Nenhuma quantidade de talento, treinamento ou esforço pode compensar as vantagens físicas naturais que homens têm sobre as mulheres. É simplesmente uma realidade da biologia humana”, disse Reynolds. “Forçar as mulheres a competir contra os homens é o oposto de inclusão e é absolutamente injusto”.

Iowa é o último estado dos Estados Unidos a aprovar tal medida, depois que Idaho, Tennessee, Virgínia Ocidental e Texas, entre outros, aprovaram leis semelhantes que proíbem mulheres trans de participar de esportes femininos. Alguns desses estados estão agora enfrentando ações judiciais sobre a medida.

Os defensores dessa medida acreditam que ela criará condições de igualdade e justiça para as atletas femininas nas escolas, porque as atletas transgêneros têm uma vantagem injusta sobre os alunos cisgêneros.

Um membro do conselho da Iowa Action, Angus Raymond, condenou a assinatura da nova legislação por Reynolds, dizendo que a medida prejudicaria alguns alunos nas escolas.

“Apesar da oposição esmagadora e de uma infinidade de médicos e especialistas em saúde mental dando testemunho de como isso causará danos, a governadora Reynolds está dizendo às crianças e jovens transgêneros de Iowa que eles são menores e sem importância para seu estado, em um flagrante desrespeito ao Título IX”, declarou Raymond. “Estamos profundamente desapontados com a legislatura e o gabinete do governador”.

O Epoch Times entrou em contato com um porta-voz da governadora Kim Reynolds por comentários.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas