Inundações no centro da China deslocam 1,2 milhão de pessoas

Por Nicole Hao

Uma cidade no centro da China foi devastada por enchentes em meio a chuvas recordes.

Na cidade de Zhengzhou, as ruas se transformaram em rios, os túneis subterrâneos submergiram e as inundações se infiltraram no segundo andar dos edifícios em algumas áreas. Quedas generalizadas de energia interromperam cirurgias em hospitais e deixaram alguns pacientes sem suporte vital.

O número oficial de mortos em 20 de julho foi de 25, uma dúzia deles em um metrô inundado, com sete desaparecidos, de acordo com autoridades do governo anunciadas em 21 de julho. Mas os residentes da cidade de 12 milhões disseram ao Epoch Times que acreditam que o número é muito maior.

Um homem passa por um carro submerso ao longo de uma rua inundada após fortes chuvas em Zhengzhou, província de Henan, no centro da China, em 20 de julho de 2021 (STR / AFP via Getty Images)

Uma residente de sobrenome Xie disse ao Epoch Times que testemunhou uma enchente que levou as pessoas para longe na tarde de 20 de julho.

“Duas mulheres foram arrastadas pela enchente quando tentaram atravessar a rua sem ajuda”, disse Xie em 21 de julho. “Estávamos parados na rua, mas não podíamos fazer nada para ajudar.”

Mais tarde, ela conseguiu ajudar duas outras mulheres que estavam presas na água segurando em um poste de semáforo para evitar serem arrastadas.

“Dois homens providenciaram para que ficássemos de mãos dadas [para alcançar as mulheres] e nós as arrastamos de volta”, disse Xie.

Outro residente, Zhao Ming (um pseudônimo), disse ao Epoch Times que o número de mortos deveria chegar a 200, de acordo com relatórios de seus colegas.

Em 20 de julho, mais de 500 pessoas ficaram presas dentro de um metrô depois que um túnel inundou, de acordo com a mídia estatal. Doze morreram dentro do metrô e outros cinco foram hospitalizados devido a ferimentos, disse ele. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram passageiros submersos em água até o peito no escuro.

“A água veio ao meu peito”, escreveu um sobrevivente sob o pseudônimo de Qiji Qiyuan nas redes sociais. “Eu estava realmente assustado, mas o mais assustador não era a água, mas a diminuição do suprimento de ar no vagão.”

Qiji disse que viu outros passageiros começarem a vomitar, tremer e ofegar. Ele também desmaiou por um tempo devido à falta de oxigênio, escreveu. Qiji foi resgatado após duas horas preso no vagão.

Muitos serviços de trem foram suspensos na província de Henan, um centro de logística com uma população de cerca de 100 milhões. As estradas também foram fechadas e os voos atrasados ​​ou cancelados.

De acordo com as autoridades provinciais, 89 condados foram afetados pelas enchentes e 1,24 milhão de pessoas foram deslocadas.

Carros em meio a enchentes após fortes chuvas atingiram a cidade de Zhengzhou, na província de Henan, no centro da China, em 21 de julho de 2021 (STR / AFP via Getty Images)

De sábado a terça-feira, 617,1 mm (24,3 polegadas) de chuva caíram em Zhengzhou, quase o equivalente à sua média anual de 640,8 mm (25,2 polegadas).

Os três dias de chuva coincidiram com um nível visto apenas “uma vez em mil anos”, disse o departamento meteorológico de Zhengzhou.

Enquanto as autoridades culpavam a chuva recorde pela devastação, os residentes de Zhengzhou disseram ao Epoch Times que acreditavam que as águas descarregadas de represas e reservatórios exacerbaram a gravidade das enchentes.

Dezenas de reservatórios e represas ultrapassaram os níveis de perigo em Zhengzhou e nas regiões próximas.

De acordo com um morador de Zhengzhou de sobrenome Li, as autoridades da cidade anunciaram na tarde de terça-feira que despejariam tanques pela cidade. Mas Li disse que as águas foram descarregadas antes disso.

“Acho que foi a água derramada que causou a enchente”, disse Li ao Epoch Times em 20 de julho.

A cidade de Zhengzhou disse em 21 de julho que começou a descarregar água do reservatório de Changzhuang, localizado a oeste da cidade, às 10h30 de terça-feira. À noite, os níveis de água no reservatório de 32 milhas quadradas caíram 27 polegadas.

Outra barragem da cidade, a represa de Guojiazui, rompeu na manhã de quarta-feira, mas a barragem ainda não rompeu, de acordo com o regime.

Vários rios da região correm o risco de transbordar, já que autoridades disseram na quarta-feira que eles atingiram o nível máximo de água.

Um rio local transbordou na tarde de terça-feira e as enchentes inundaram campos próximos, informou o jornal chinês The Paper em 20 de julho.

Com informações da Reuters.

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também

 
Matérias Relacionadas