Inundações na China pioram com as águas lançadas da barragem Três Gargantas deixando cidades submersas

Previsões meteorológicas mostraram que a região do rio Yangtze experimentará mais chuvas nos próximos dez dias

Por Nicole Hao

Chuvas fortes continuaram a cair em dezenas de cidades chinesas em 29 de junho, causando fortes inundações. Mas, diferentemente das ocasiões anteriores de grandes desastres, nenhum funcionário do Partido Comunista Chinês visitou as regiões afetadas até o momento.

Além disso, a Barragem das Três Gargantas, localizada na região do alto rio Yangtze, na província de Hubei, e outros reservatórios descarregaram sua água acumulada, afetando as cidades próximas.

Por exemplo, em Wuhan, capital de Hubei, e onde a pandemia da COVID-19 eclodiu pela primeira vez, as águas da enchente atingiram o teto dos carros.

As previsões meteorológicas mostraram que a região do rio Yangtze experimentará mais chuvas nos próximos dez dias. Os hidrologistas já haviam avisado que a descarga de água da barragem das Três Gargantas poderia arrastar as pessoas que moravam rio abaixo.

Descarga d’água

A mídia estatal Xinhua citou funcionários do governo que confirmaram que a barragem das Três Gargantas liberou água da chuva acumulada em seu reservatório em 29 de junho.

A velocidade média de descarga na segunda-feira foi de 35.000 metros cúbicos por segundo (cerca de 554,76 milhões de galões por minuto), segundo o relatório.

O departamento de recursos hídricos de Hubei também anunciou em 29 de junho que descarregou água de 1.081 reservatórios locais depois que seus níveis de água excederam os limites de alerta.

O departamento acrescentou que oito desses reservatórios eram grandes, o que significa que suas capacidades de armazenamento eram maiores que 100 milhões de metros cúbicos (26,4 trilhões de galões); 28 deles eram de tamanho médio, com capacidade de armazenamento de mais de 10 milhões de metros cúbicos (2,6 trilhões de galões); e 1045 de tamanho pequeno.

O rio Yangtze corre através de Wuhan. A cidade foi inundada em 29 de junho devido ao alto nível de água do Yangtze e às fortes chuvas.

A mídia estatal Hubei Jingshi informou que as águas das cheias haviam entrado no primeiro andar de edifícios em alguns bairros de Wuhan. Além disso, 35 rodovias nos distritos de Qiaokou, Wuchang, Hongshan e Gaoxin foram fechadas na segunda-feira devido às profundas águas da enchente.

Muitas outras cidades de Hubei também sofreram inundações

A agência estatal de CFTV informou que, em 27 de junho à noite na cidade de Guangshui, as águas da enchente afetaram tanto a região que as pessoas não conseguiram sair de seus carros ou casas.

O regime não anunciou nenhum número de mortes relacionado a isso, mas a população local compartilhou um vídeo nas redes sociais de uma mulher que morreu após ser varrida pelas águas da enchente.

Em 27 de junho, as cidades de Yichang, Xiangyang, Jingmen, Xiaogan, Huanggang, Enshi e Shennongjia relataram as inundações. 7005 pessoas foram forçadas a deixar suas casas e outras 650.000 sofreram perdas devido às inundações, segundo as autoridades.

O governo central anunciou segunda-feira que tempestades mais severas devem atingir as regiões altas da barragem das Três Gargantas na primeira quinzena de julho.

Nas primeiras horas da manhã de 30 de junho, a cidade de Xinyang na província de Henan, a cidade de Shijiazhuang na província de Hebei, o condado de Hengdong na província de Hunan e outras regiões também relataram inundações.

Líderes chineses

26 das 34 províncias e regiões da China registraram inundações em junho. No entanto, nenhum alto funcionário chinês visitou as áreas afetadas por desastres.

Nas últimas décadas, as autoridades fizeram visitas como parte dos esforços de propaganda do Partido. O primeiro-ministro Li Keqiang e os ex-primeiros-ministros Wen Jiabao e Zhu Rongji visitaram Wuhan durante a estação das cheias em 2016, 2010 e 1998.

Em 27 de junho, alguns meios de comunicação estatais publicaram relatos de que Wen se encontrou com o diretor da Escola de Ciências da Terra da Universidade Lanzhou em Pequim em 22 de junho. Desde outubro de 2019, ele não participa de nenhuma atividade pública.

A hora e o local – a escola é conhecida por seu programa de engenharia hidráulica – tem observadores na China especulando que a recente aparição de Wen não é coincidência.

“Ele quer transmitir a mensagem de que está mirando a barragem das Três Gargantas”, disse Tang Jingyuan, comentarista de assuntos chineses dos EUA.

Antes sua carreira política, Wen foi geólogo e engenheiro por 17 anos, graduando-se em geologia.

Quando ele era primeiro ministro, Wen não mostrou apoio público à barragem das Três Gargantas. Quando a cerimônia de conclusão da barragem foi realizada em maio de 2006, nem Wen nem Hu Jintao – o então líder chinês e ex-engenheiro hidráulico, compareceram.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

EUA exitem transparência da China com relação à pandemia

 
Matérias Relacionadas