Sob intensos protestos, projeto de lei SOPA foi modificado

Redator da controversa lei diz que não sentir-se desanimo pela oposição
Nova-iorquinos se manifestam contra a SOPA e a PIPA, as controversas legislações que visam prevenir a pirataria, mas que apoiariam a censura (Mario Tama/Getty Images)
Nova-iorquinos se manifestam contra a SOPA e a PIPA, as controversas legislações que visam prevenir a pirataria, mas que apoiariam a censura (Mario Tama/Getty Images)

O presidente do Comitê Judiciário da Câmara dos EUA, o republicano Lamar Smith do Texas, disse numa entrevista quarta-feira que não estava desanimado com as críticas lançadas pelos opositores do projeto de lei para impedir a pirataria online SOPA (Stop Online Piracy Act, em inglês) e fez as mudanças necessárias.

Smith disse à imprensa que grande parte do que os críticos apontam já foi discutido nas mudanças do projeto e que se lerem como a lei está agora, ficarão calmos, segundo o Estadão.

Smith disse que o SOPA é “para ter uma legislação que proteja os consumidores, as empresas e os empregos dos ladrões estrangeiros que roubam a propriedade intelectual dos Estados Unidos; vamos continuar a reunir representantes da indústria para encontrar formas de combater a pirataria online”, declarou ele segundo o relatório do judiciário do governo norte-americano.

O presidente da Câmara dos Representantes não pensa o mesmo, o republicano John Boehner de Ohio disse que a lei SOPA e a lei de proteção à propriedade intelectual PIPA (Protect Intellectual Property Act) ainda não estão prontas para votação na Câmara, de acordo com o Wall Street Journal.

Ontem, dia 18 de janeiro, foi marcado por inúmeros protestos em websites, incluindo a Wikipedia e o Google, em oposição ao projeto de lei SOPA.

O website Wikipedia paralisou seus serviços no site de língua inglesa, substituindo sua tela original com um símbolo preto e um texto que dizia, “Imagine um mundo sem o conhecimento livre”. E prosseguia embaixo descrevendo, “neste momento; o Congresso dos Estados Unidos está considerando uma legislação que poderá prejudicar fatalmente a internet libre e aberta”.

Embora se discuta a lei nesta terça-feira 17 janeiro, o Comitê Judiciário dos Estados Unidos comunicou que retomará a votação do SOPA em fevereiro.

 
Matérias Relacionadas