Instituto Confúcio da Universidade Tufts deve fechar em meio a protestos

Por Learner Liu

A Tufts University anunciou na quarta-feira que não vai renovar seu contrato com o Instituto Confúcio depois que ele expirar em setembro deste ano. A decisão foi tomada em resposta a um protesto de 13 semanas contra o polêmico programa educacional.

O Confucius Institute (CI) é uma colaboração educacional sem fins lucrativos entre a Tufts e a Beijing Normal University (BNU) que promove a língua chinesa e programas culturais e facilita o “intercâmbio e cooperação educacional e cultural”, de acordo com o site da  Tufts University .

O Confucius Institute at Tufts University (CITU), que foi criado em 2015, é atualmente o único programa de língua chinesa em Massachusetts patrocinado pelo Partido Comunista Chinês (PCC). O contrato da universidade com o programa CI expira em setembro de 2021 e não será renovado, de acordo com um anúncio divulgado em 17 de março.

Em 13 de março, cerca de 100 manifestantes se reuniram em frente ao prédio do CITU em Medford, MA, marcharam pelo campus e se manifestaram perto do Ballou Hall, onde está localizado o gabinete do presidente, exigindo que a universidade feche o CI.

“Quero deixar claro, não se trata de oportunidades para estudar a cultura ou a língua chinesa, sabemos que a Tufts pode encontrar qualquer outro programa de intercâmbio chinês que não seja patrocinado diretamente pelo estado autoritário,” a deputada estadual de Massachusetts Erika Uyterhoeven ( Democrata) disse no comício.

“Trata-se de distorcer o discurso acadêmico, silenciar os defensores dos direitos humanos e reprimir a dissidência ou discussão aberta, e é uma ameaça crescente à integridade de nossas instituições acadêmicas e à democracia em todos os lugares”, acrescentou ela.

A representante de Massachusetts Erika Uyterhoeven (democrata, à esquerda) e o organizador do protesto, Olo Bayul, pedem à Tufts University que feche seu Instituto Confucius em Somerville, Massachusetts, em 13 de março de 2021 (Learner Liu / The Epoch Times)

Protesto

Membros das comunidades tibetana, uigur, taiwanesa e de Hong Kong, junto com alunos e professores da Tufts, e ativistas de direitos humanos de Massachusetts e da China continental participaram do protesto em 13 de março.

Manifestantes marcham pela Tufts University para protestar contra o Instituto Confucius em Somerville, Massachusetts, em 13 de março de 2021 (Learner Liu / The Epoch Times)

Os manifestantes gritavam em voz alta: “Governo chinês da Tufts! PCC da Tufts! Ei-ei-ho-ho, o governo chinês precisa ir! ” A maioria deles segurava faixas, pôsteres, brochuras e placas de sinalização.

“Estamos aqui todos os sábados, das 13h às 14h30, para lembrá-los [da Tufts University] de que precisam rescindir sua relação financeira e contratual com o governo chinês”, disse  Olo Bayul , organizador do protesto e professor de escola pública local, disse ao Epoch Times no comício. Ele disse que seus pais tibetanos foram perseguidos pelo PCC na China e então vieram para os Estados Unidos como refugiados.

Grupos de direitos humanos protestam em frente ao Instituto Confúcio, exigindo que a Universidade Tufts feche o programa em Somerville, Massachusetts, em 13 de março de 2021 (Learner Liu / The Epoch Times)

CITU

O Instituto Confúcio tem sido polêmico nos Estados Unidos por supostamente promover a propaganda do PCC e censurar as discussões sobre as condições dos direitos humanos na China. Em 13 de agosto de 2020, o então presidente dos EUA, Donald Trump, designou o Confucius Institute US Center (CIUS) como uma missão estrangeira.

A National Association of Scholars contabilizou um total de 51 ICs nos Estados Unidos em 17 de março, sete dos quais estão programados para fechar em 2021.

Os Institutos Confucius em Massachusetts geraram protestos desde 2018. Em janeiro de 2019, a Universidade de Massachusetts Boston anunciou que não renovaria seu contrato com a Hanban, uma agência governamental chinesa que fornece recursos e pessoal para ICs.

Falun Gong, também conhecido como Falun Dafa, é uma prática espiritual que se originou na China. Seu aumento de popularidade na década de 1990 viu cerca de 70 milhões de pessoas praticando em 1999, de acordo com estimativas oficiais da época. Ameaçado por esta popularidade, o PCC lançou uma perseguição contra a prática em 1999. Desde então, milhões de praticantes do Falun Gong foram jogados em prisões, enfermarias psiquiátricas e outras instalações, enquanto centenas de milhares sofreram tortura, de  acordo  com estimativas do Centro de Informações do Falun Dafa.

Um manifestante pede à Tufts University que feche seu Instituto Confúcio, um programa de treinamento de línguas que o regime chinês usa para promover as mentalidades comunistas, em Somerville, Massachusetts, em 13 de março de 2021 (Learner Liu / The Epoch Times)

Em outubro de 2019, a Tufts University anunciou uma renovação de dois anos de seu contrato com a CI depois que um comitê da escola alegou “nenhuma evidência de supressão da liberdade acadêmica, pressão ou censura associada às atividades do Instituto Confúcio em Tufts”.

Sarah Phillips, membro do Comitê Escolar de Somerville, disse em seu discurso no protesto de 13 de março que o PCC e suas organizações afiliadas são bons em se disfarçar e esconder sua agenda.

“Eu sei que os professores e administradores da Tufts são de primeira linha. Mas é do governo chinês que estamos falando. Eles conseguiram esconder a internação de um a três milhões de uigures e pessoas de língua turca em campos de concentração por mais de dois anos ”, disse Phillips.

Phillips acrescentou que estava preocupada com o plano da CI de criar “ Salas de Aula Confúcio ” nas escolas públicas locais.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas