Indústria privada de empréstimo está desmoronando na China

Nos últimos meses, tem havido na China casos frequentes de donos de empresas de financiamento privado que desapareceram, deixando os investidores de mãos abanando. A ampla disseminação desse fenômeno no Sul e Oeste da China mostra que a indústria de empréstimo não-governamental está em colapso, segundo a mídia chinesa.

No final de outubro, o departamento de polícia de Xi’an, capital da província de Shaanxi, Noroeste da China, recebeu mais de 100 queixas de investidores da Shaanxi Shihe Investment Ltd. que não receberam os juros que lhes eram devidos e que inclusive não podiam obter de volta seu investimento inicial.

Zhang Chao, o proprietário da empresa de investimento, desapareceu no mês passado. Não só a sede da empresa em Shaanxi foi fechada, mas suas empresas do ramo em todo o país – em Shenzhen, Lanzhou, Qinghai, Jinan, Chengdu e Xianyang – também fecharam, segundo o China Business, um dos jornais financeiros mais lidos na China.

O valor do investimento perdido por investidores individuais na Shihe Investiment varia de milhares a milhões de dólares, informou o China Business. A polícia ainda está contando o número de vítimas e o montante total envolvido.

Alguns investidores afirmaram ter obtido os registros contábeis de uma fonte de dentro da empresa que mostra que cerca de 1.300 investidores com mais de 260 milhões de yuanes (US$ 42,5 milhões) estão envolvidos, diz o relatório.

O proprietário Zhang Chao é atualmente procurado pela polícia. A última aparição de Zhang foi em setembro, quando ele prometeu aos investidores que seus investimentos iniciais e os juros estariam garantidos. Ele também disse que a empresa planejava ser listada em bolsas de valores em 2015.

Em 5 de novembro, centenas de vítimas protestaram em frente à sede do governo da província de Shaanxi, exigindo a prisão de Zhang e o retorno de seus investimentos.

A sra. Zhao, uma das vítimas que protestava, disse ao Epoch Times numa entrevista por telefone, que um dos investidores cometeu suicídio sob pressão financeira e outro sofreu um ataque cardíaco quando soube que o dono da empresa desapareceu.

“Nós fomos à falência da noite para o dia”, disse Zhao. “Muitas pessoas não conseguem dormir à noite agora, e suas vidas se tornaram muito difíceis. Algumas famílias foram completamente arruinadas, e alguns idosos foram internados, incapazes de resistir ao golpe.”

A Shaanxi Shihe Investment Co. tem um bilhão de yuanes (US$ 163 milhões) em ativos investidos em mais de 40 indústrias, como supermercados, imóveis, entrega rápida, etc.

Antes dos eventos em Shaanxi, uma série de proprietários de empresas de investimento na província de Sichuan, Sudoeste da China, desapareceram, e deixaram inúmeros investidores sem pagamento ou restituição desde julho, informou o China Business.

Proprietários de quatro empresas de investimento desapareceram nos últimos meses e outro cometeu suicídio que foi atribuído ao elevado endividamento de sua empresa. Muitas outras empresas do setor de investimento de Sichuan também enfrentam graves problemas financeiros.

“Cerca de 100 empresas de gestão financeira têm encontrado problemas e o número continua a aumentar”, disse Yang Xiaobing, gerente-geral de uma empresa de microfinanças na Zona de Alta Tecnologia de Chengdu, em Sichuan, ao China Business.

“Porque a maioria das empresas financeiras foi estabelecida nos últimos três anos, e o período de um projeto é de cerca de um ou dois anos, a remuneração devida atingirá um pico no final deste ano”, disse Yang. “Mais projetos aparecerão com problemas financeiros. Essa condição provavelmente durará até 2015 e 70-80% dessas empresas enfrentarão um período difícil nesta crise.”

Muitas empresas financeiras em Sichuan deixaram de oferecer qualquer novo projeto de investimento, diz a reportagem. Cerca de 4 mil novas empresas de financiamento foram estabelecidas no segundo semestre do ano de 2013 na província de Sichuan.

Muitas das empresas ofereceram altas taxas de juros para atrair investidores e a maior parte do investimento foi para o setor imobiliário. Como o setor imobiliário vem desacelerando acentuadamente desde o ano passado, isso tem causado graves problemas financeiros, diz a reportagem.

Yang disse que cerca de 80% do capital de crédito privado foi investido em imóveis. Após a desaceleração do setor imobiliário, as sociedades financeiras têm dificuldade em pagar as altas taxas de juros prometidas.

 
Matérias Relacionadas