Índia combate suborno com notas de valor zero

Notas de zero rúpia têm servido de ferramenta para dizer ‘não’ a corrupção na Índia (Cortesia de 5º Pilar)

Parece uma nota de 50 rúpias, mas é um tapa na cara dos corruptos.

Onde houver suborno, a organização anticorrupção “5º Pilar” da Índia encoraja os cidadãos a pagarem com as notas de zero rúpia que eles criaram. A nota diz: “Prometo não aceitar nem subornar”.

Elas foram feitas para se parecerem como as notas de 50 rúpias, que têm a imagem de Mahatma Gandhi. As cifras de 50 são substituídas por zeros e a nota também diz: “Elimine a corrupção em todos os níveis”. Ela foi impressa em vários idiomas em diversos lugares na Índia.

As primeiras 25 mil notas foram impressas em 2007 em Chennai, capital do estado de Tamil Nadu. O sucesso da campanha inspirou a 5º Pilar a expandi-la para todos os outros estados. Até o momento, a organização já imprimiu quase meio milhão de notas.

“As zero rúpias têm sido uma maneira muito eficaz de contornar situações em que um motorista, policial ou [outro] oficial exige suborno”, diz Vijay Anand, o presidente da 5º Pilar, numa entrevista no site da organização. “Diante da corrupção, qualquer pessoa pode expressar livremente seu ‘não’ desta forma.”

E isso realmente funciona, disse Anand. Os funcionários frequentemente recuam ao ver a nota. Rajesh Chandran, um programador de software de 38 anos, contou ao jornal indiano The National sobre o êxito que teve ao usar a nota.

“Havia muitas camas no trem, mas o funcionário da empresa ferroviária se recusou a me dar uma. Ele me disse que arranjaria uma cama apenas se eu o pagasse. Eu lhe dei uma nota de zero rúpia e olhei-o nos olhos para que ficasse claro para ele que eu não pagaria propina. Ele ficou aparentemente preocupado e envergonhado e, em poucos segundos, deu-me uma cama”, disse Chandran.

Notas de zero rúpia têm servido de ferramenta para dizer ‘não’ a corrupção na Índia (Cortesia de 5º Pilar)
Notas de zero rúpia têm servido de ferramenta para dizer ‘não’ a corrupção na Índia (Cortesia de 5º Pilar)

Qualquer pessoa pode imprimir o dinheiro contra a corrupção após baixá-lo no site da organização. Imprimir apenas um lado da nota não viola as leis de falsificação. Embora qualquer pessoa possa imprimi-lo, o dinheiro é distribuído por uma extensa rede de mais de 14 mil voluntários.

No entanto, nem tudo é cor-de-rosa. Vários voluntários foram atacados e espancados após surpreenderem as autoridades locais que exigiam suborno. “Isso apenas reforça minha vontade de continuar a lutar contra a corrupção”, disse Anand.

Outra iniciativa na luta contra a corrupção é o “Eu paguei um suborno“. Pessoas de toda a Índia compartilharam suas experiências de corrupção. O site Ipaidabribe.com documenta os lugares e valores envolvidos, gerando um fluxo constante de informações.

Recentemente, a primeira página do site mostrou muitas denúncias publicadas em pouco tempo.

Uma postagem recente foi de uma pessoa em Hyderabad, no estado de Andhra Pradesh. A pessoa estava fotografando quando um policial confiscou sua câmera dizendo que era uma área restrita para fazer aquilo. E relatou que o oficial lhe disse: “Você é uma pessoa educada. E sabe o que deve fazer.” A pessoa pagou 200 rúpias (3,30 dólares) ao policial, destacando que para muitos este valor é mais do que um dia de salário em Hyderabad. Por fim, a pessoa escreveu: “Eu me arrependo.”

A Transparência Internacional afirmou em seu relatório “Barômetro da Corrupção Global 2010” que, num período de 12 meses, 54% dos indianos pagaram subornos por serviços básicos.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas