Humildade é essencial para quem quer aprender

Humildade: a qualidade fundamental para o aprendiz

Noutro dia recebi um post de um amigo. O post era de sua namorada, Larissa Putz*.

Larissa é lutadora profissional de Jiu-Jitsu.

Fui dar uma olhada e me surpreendi ao ler num blog (Be More) a resposta da Larissa a um internauta que desejava aprender Jiu-Jitsu com ela.

Na verdade, não foi uma resposta direta ao rapaz, mas sim uma reflexão sobre seus sentimentos e paradigmas que foram questionados através da pergunta do rapaz.

Suas reflexões me lembraram das verdadeiras reflexões daqueles que buscam a essência e as verdades de seu próprio ser; me lembraram dos verdadeiros buscadores e mestres espirituais que, com humildade e inocência, vão sempre se transformando e evoluindo durante o aprendizado incansável sobre a vida e sobre si mesmos.

A simplicidade, a humildade e a inocência de seus questionamentos frutificou em sabedoria e transformação viva de si mesma.

Suas compreensões e palavras servem como uma recordação e inspiração para aqueles que buscam sempre aprender.

Abaixo segue a pergunta do internauta e logo depois a resposta-reflexão de Larissa.

Internauta: “Oi Larissa, tudo bem, tudo em paz? Gostaria de começar a treinar Jiu-Jitsu. Eu busco foco na técnica e no lado Zen e espiritual das Artes Marciais….”

Larissa: “Desta forma começa a mensagem com a qual me deparei há alguns meses. Meu nome é Larissa Putz, sou faixa roxa de Jiu-Jitsu e tenho grande satisfação em passar meus conhecimentos adiante.

A Arte Suave tem se focado em qualidades físicas e técnicas, resultando na obsolescência de suas outras faces. Este pedido inédito desencadeou-me incertezas. Como ensinar ao outro o que não sei descrever? Ou melhor, como ensinar a respeito de transformações internas que sequer consegui ter?

Após o abalo que o desafio me trouxe, analisei a situação e me deparei novamente com a gostosa sensação de ser uma faixa branca. Estar no tatame com alguém aberto desta forma tem mexido comigo. Impressionante como aprendemos quando não sabemos nada!

Um iniciante no Jiu-Jitsu está me ajudando a instaurar o silencio interior que o Artista Marcial requer. Venho projetando e despertando questões profundas. Resgatei da estante “A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen” (Eugen Herrigel), o qual me enriquece a sensação de que tudo e todos somos um só. O livro descreve, através da arte, uma experiência direta, real, sem qualquer tipo de interferência do intelecto. A vivência flui, como se algo atuasse pelo ser humano.

Para que este feito seja possível, faz-se necessário um longo período de dedicação, não apenas por meio de treinos intensivos, mas principalmente pela forma de viver. O adversário nos permite entrar em contato com as verdadeiras fraquezas que nos habitam. Antes da luta é necessário suspender seu egoísmo, suas ambições e paixões e possuir a maior das virtudes humanas: a humildade.

Não é preciso mencionar a dificuldade com a qual nos deparamos, mas quando dois lutadores põem em prática sua paixão, eles se complementam, e a verdadeira dança pode ser assistida. Com a intenção de ensinar, venho aprendendo. Não há como saber onde e se vamos chegar, mas o prazer esta no caminho.

Um abraço e até a próxima por aqui. ”

*Larissa Putz é tri-campeã mundial pela CBJJE (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo) e tri-campeã brasileira pela CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu), dentre outros títulos. Ministra aulas para turmas de Jiu-Jitsu infantil e aulas particulares para adultos na Guigo Academia. Além disso, é psicóloga formada pela UPM (Universidade Presbiteriana Mackenzie).

.

………….

Alberto Fiaschitello é terapeuta naturalista e cientista social

 
Matérias Relacionadas