Homeopatia: uma alternativa segura a vacinas e remédios alopáticos

Ledum palustre, ou chá dos pântanos, é uma planta com flores. Na América do Norte, é encontrada no Canadá e no Alaska. É um dos medicamentos homeopáticos mais importantes para feridas por perfuração.

O tétano, uma doença temida causada pela bactéria Clostridium tetani, foi um problema grave no passado. Descombey desenvolveu a vacina antitetânica em 1924. Devido à utilização dessa vacina durante a Segunda Guerra mundial foram verificadas taxas muito baixas de tétano associadas às feridas dos combates.

Antes da vacina antitetânica, os médicos homeopatas conseguiram impedir o tétano com a ajuda de um de seus medicamentos homeopáticos, o Ledum.

James Tyler Kent, médico, escreveu em Lectures of Homeopathic Materia Medica (1904): “O cavalo às vezes pisa em pregos. Se um prego ultrapassa o casco e chega à margem do osso, o tétano se manifestará. É sabido que a morte é quase certa neste caso. Colocando o Ledum sob a língua deste cavalo, não haverá problema, porque o Ledum prevenirá tais condições.”

Como a maior parte das pessoas hoje é vacinada contra o tétano quando ainda é jovem e tem injeções de reforço a cada 10 anos, a procura de Ledum para a profilaxia antitetânica é pequena. Entretanto, os pais que escolhem evitar ter seus filhos vacinados têm a possibilidade de considerar o Ledum para a profilaxia do tétano se um de seus filhos não vacinados se ferir por perfuração.

Outra utilização do Ledum é para picadas de insetos. Os pacientes tratados com Ledum depois de terem sido picados por um inseto frequentemente reportam resultados de alívio rápido do desconforto da picada.

O Ledum é igualmente indicado se uma pessoa experimenta dor de atrite, cujo quadro é acompanhado por agitação e é aliviado por aplicações de compressas frias ou imergindo o membro na água gelada.

Talvez a indicação mais frequente utilizada atualmente para o Ledum seja no tratamento da Doença de Lyme (ou borreliose de Lyme, doença causada pela bactéria Borrelia burgdorferi) em animais e seres humanos.

Um veterinário homeopata que trata animais domésticos em todo Estados Unidos disse-me que, em sua experiência, o Ledum é o medicamento mais frequente indicado na homeopatia para o tratamento de animais afetados pela Doença de Lyme.

Há mais de 10 anos, minha esposa teve a doença de Lyme três vezes e eu a tive duas vezes. Para ambos, o Ledum foi o medicamento indicado. Depois de ter tomado o Ledum, nossos sintomas desapareceram, e nós não tivemos nenhuma nova recaída.

Alguns dos sintomas interessantes que experimentamos foram a incapacidade de encontrar uma posição confortável ao tentar dormir, a impossibilidade de dormir devido à dor e uma paralisia parcial dos membros.

O Ledum não é o único medicamento homeopático indicado para a doença de Lyme, mas é provavelmente o medicamento mais frequentemente indicado.

Nesta experiência de medicina homeopata, o Ledum pode fazer desaparecer os sintomas nos pacientes com teste de sangue positivo para a doença de Lyme, e pode mudar o resultado dos exames de positivo para negativo.

Claro, isto ocorre apenas nos pacientes para os quais o Ledum é indicado [a indicação de um medicamento homeopático relaciona-se a diversos sinais e sintomas físicos e psíquicos de uma pessoa, e não somente aos seus sintomas físicos ou ao tipo exclusivo da doença]. O Ledum não funcionará quando outro medicamento homeopático for o realmente indicado.

 
Matérias Relacionadas