Chinês morre 16 meses após ser preso por usar emblema proibido

O sr. Li Piyun de Shenyang, província de Liaoning faleceu no dia 31 de outubro de 2014, com a idade de 65 anos, apenas 16 meses depois de ser preso por expressar sua crença na prática pacífica de meditação do Falun Gong. Ele foi abusado severamente no notório Presídio Masanjia até que ficou gravemente doente e teve que ser hospitalizado.

O sr. Li foi preso em 6 de junho de 2013, num posto de segurança no Aeroporto Taoxian. Seu crime? Ele estava usando um broche do Falun Gong. Foi condenado a três anos de prisão e transferido para o Presídio de Masanjia.

Pouco tempo após sua transferência, a família do sr. Li foi chamada para vir vê-lo na Unidade de Emergência do Hospital Central Benxi. Eles viram que ele tinha mudado completamente de como era um mês atrás, quando sua família o visitou pela última vez no centro de detenção.

O sr. Li estava pele e osso e tinha dificuldade para respirar. Estava com insuficiência cardíaca e suas pernas estavam inchadas. Não podia se sentar. Estava com sintomas de líquido se acumulando na cavidade pleural. Havia sido diagnosticado com câncer de pulmão em estágio final.

Embora o sr. Li estivesse em estado crítico, ainda estava sendo mantido algemado e monitorado o tempo todo por guardas.

A família do sr. Li soube que ele tinha sido espancado duas vezes e tinha sido privado de sono por um longo tempo num esforço para forçá-lo a renunciar à sua fé.

Sua família pediu que ele fosse colocado em liberdade condicional médica, mas foram informados que os praticantes do Falun Gong não recebem liberdade condicional médica.

Para fugir à responsabilidade, as autoridades finalmente libertaram o sr. Li em liberdade condicional médica quando ele estava perto da morte. Sua família pagou cerca de 100.000 yuanes de despesas médicas. O sr. Li morreu no hospital em 31 de outubro, um mês após a sua libertação.

Secretamente transferido para o Presídio Masanjia

O sr. Li foi condenado a três anos de prisão no final de 2013 pelo Tribunal do distrito de Dongling. Ele recorreu à sentença, mas foi secretamente transferido para o Presídio Masanjia antes que o julgamento final fosse emitido.

Sua família foi para o centro de detenção para visitar o sr. Li no meio do ano de 2014 mas foram informados que ele não estava mais lá. Os guardas se recusaram a dizer à família onde estava. Sua família foi para vários departamentos de polícia em busca de informações sobre seu paradeiro. Eles descobriram que ele havia sido transferido para o Presídio Masanjia, mas as visitas familiares não foram autorizadas.

Um homem bom preso injustamente

Uma das vizinhas do sr. Li chorou quando ouviu que o sr. Li tinha sido preso. Ela disse: “Essa pessoa simpática e educada foi presa. Por que a polícia só prende pessoas boas? O partido comunista é muito mau!”

O sr. Li é um ex-funcionário da fábrica Hongmei MSG, onde era muito considerado por seus colegas. Ele também tinha uma pequena loja onde vendia produtos a um preços muito razoáveis. O sr. Li seguia os princípios do Falun Gong e tratava seus clientes de forma justa.

Ele deu a sua grande casa ao seu enteado, quando ele se casou e viveu num local alugado. Ele cuidou de seu sogro, cujas pernas tinham sido amputadas. Ele cuidava tão bem dele que as pessoas pensavam que ele era o filho biológico do homem.

Resumo dos fatos-chave da perseguição:

Nome: Li Piyun (李丕云)
Sexo:
masculino
Idade:
65
Endereço:
cidade de Shenyang, província de Liaoning
Profissão:
proprietário de loja
Data da morte:
31 de outubro de 2014
Data da detenção mais recente:
6 de junho, 2013
Local de detenção mais recente:
Presídio Masanjia (马三家 监狱)
Cidade:
Shenyang
Província:
Liaoning
Perseguição sofrida:
privação de sono, lavagem cerebral, sentença ilegal, espancamentos, prisão, casa saqueada, detenção

 
Matérias Relacionadas