Histórias da China Antiga: o monge que dormia muito

As pessoas que dormem demais podem passar a maior parte do tempo dormindo e sonhando e, portanto, completando muito poucas tarefas importantes em toda sua vida

Por Minghui.org

Buda Shakyamuni sempre ensinava seus discípulos a estudarem a doutrina budista atentamente com todo seu coração. Ensinava também que eles não deviam ficar para trás ou serem preguiçosos. A maioria de seus discípulos seguiam seus ensinamentos e se cultivavam diligentemente, portanto, obtiveram o Tao e alcançaram seu estado de fruto, enquanto eliminaram muitas preocupações e sofrimentos.

Mas a maior dificuldade de um monge era a de dormir descontroladamente. Todos os dias após suas refeições, ele fechava a porta de sua casa e dormia. Nada podia despertá-lo, mesmo que tentassem.

Um dia, ao meio dia, depois de ter mendigado por comida na rua, o monge retornou carregando sua tigela de esmolas. Ele foi direto para seu quarto e adormeceu. O ronco que vinha de seu quarto foi ouvido até a manhã seguinte.

No dia seguinte, chegou a hora de Sakyamuni ensinar o Fa para o público. Os discípulos estavam presentes, exceto o monge que gostava de dormir. Sakyamuni perguntou: “Por que o monge que gosta de dormir não veio?”

Um discípulo levantou-se rapidamente e respondeu: “Mestre, ele está dormindo desde o meio dia de ontem. Tentamos de tudo para acordá-lo, mas não conseguimos”.

Sakyamuni lembrou-se que o monge só tinha sete dias de vida. Se ele morresse durante o sono, sua morte lhe traria infelicidade. Sakyamuni sentiu benevolência pelo monge. Deu instruções aos seus discípulos para recitarem uma escritura, e levaram Ananda com eles para ver o monge em seu quarto.

Podiam escutar os estrondosos roncos antes de chegarem à casa do monge. Abriram a porta do quarto e escutaram os roncos mais fortemente. O monge continuava a dormir profundamente.

Ananda chamou o monge várias vezes, mas ele não respondia, pois continuava dormindo. Quando Sakyamuni aproximou-se de sua cama e o moveu gentilmente, imediatamente o monge acordou.

Ao ver Sakyamuni diante dele com olhar de compaixão, o monge levantou-se imediatamente, inclinando-se diante do Mestre e disse: “Venerado Mestre, por favor, perdoe-me por ser desrespeitoso”.

Sakyamuni lhe disse: “Restam-lhe somente sete dias de vida. Não suportei vê-lo morrer enquanto dorme tanto, falhando para alcançar seu estado de fruto. Estou aqui para acordá-lo”.

O monge estava comovido, pois não tinha noção que só restavam-lhe sete dias de vida. Ele ficou tão assustado, que não sabia o que fazer.

Sakyamuni o consolou dizendo: “Estava predestinado para você, há muitas vidas passadas, quando foi um monge que se entregou à comida e ao sono. Você nunca refletia sobre o significado do Fa. Não seguia os preceitos budistas. Não acumulou benefícios, nem virtudes, portanto reencarnou em um verme de arroz durante 50 mil anos. Depois você reencarnou em um caracol, em um mexilhão, e também em uma mariposa durante 50 mil anos de cada vez”.

“Em suas vidas passadas, você gostava de viver em locais escuros, e valorizava muito seu corpo e sua vida. O que mais impressiona é que todos os quatro seres diferentes gostavam de dormir muito, e podiam dormir por mais de 100 anos cada um. Você não se esforçou em ser diligente. Após 200 mil anos, finalmente pode pagar o pecado que cometeu. Então, reencarnou como ser humano e tornou-se um monge”.

“Agora que é um monge, deve cultivar e estudar diligentemente para poder recuperar o que perdeu anteriormente. Eu não esperava que continuasse tão apegado à comida e ao sono, como foi há 200 mil anos. Você dorme o suficiente? Não esqueça as consequências que sofreu há 200 mil anos”.

Sakyamuni terminou de falar e o monge se ruborizou de vergonha. Rapidamente se desculpou com Sakyamuni. Quando se é criticado, e profundamente se arrepende, todos os pensamentos que o distraíam, desaparecem. Ele foi capaz de obter o estado de Luohan no final de sua vida.

O dia tem somente 24 horas. As pessoas costumam dizer que o tempo passa num piscar de olhos. Pessoas comuns dormem 8 horas por dia. As pessoas que dormem demais podem passar a maior parte do tempo dormindo e sonhando e, portanto, completando muito poucas tarefas importantes em toda sua vida. Várias décadas passam rapidamente no mundo humano. Na verdade, a pessoa se arrepende quando não aproveita as oportunidades com diligência. Às vezes a pessoa sente como se a vida fosse longa, mas não sabe quando a morte virá para ela. Até então, você não fez um bom trabalho, completando as tarefas que deveria fazer e as missões que deveria realizar. Pior ainda, você não se esforçou para fazê-las. Nada pode ajudar, não importa o quanto se arrependa. A pessoa realmente quer se tornar um verme sonolento em sua próxima vida?

O monge que muito dormia, finalmente percebeu que precisava aproveitar o tempo que restava, e não perder tempo dormindo e com sonolência. Um cultivador somente deve dar importância aos esforços de avançar diligentemente no cultivo de Buda. Como uma pessoa sonolenta e dorminhoca poderia se tornar tão diligente como um poderoso leão? Um cultivador deve aproveitar cada minuto, dormir menos e cultivar mais, para ter êxito em seu cultivo.

 
Matérias Relacionadas