Histórias da Antiga China: Wan Hui não era estúpido, no fim das contas

Wan Hui era mentalmente lento. Ele só começou a falar aos 8 ou 9 anos de idade. Seus pais não o queriam e o criaram como um animal

Por Su Lin, Epoch Times

Wan Hui nasceu na família Zhang em Wenxiang (hoje condado de Lingbao, a oeste da província de Henan) durante a dinastia Tang. Sua mãe rezou para a Deusa da Misericórdia pedindo um filho e logo deu à luz Wan Hui. Mas Wan Hui era mentalmente lento. Ele só começou a falar aos 8 ou 9 anos de idade. Seus pais não o queriam e o criaram como um animal.

Quando ele cresceu, seu pai pediu-lhe para arar o campo e ele o fez prontamente. Supunha-se que ele deveria arar apenas o seu próprio campo, mas ele continuou, dizendo: “Isso é fácil!” Ele não parou até encontrar um grande buraco. Seu pai bateu nele, mas ele respondeu: “Todo mundo tem que arar seu campo de qualquer maneira. Por que se preocupar com as direções? “Seu pai parou de bater nele, mas nunca mais pediu para ele arar o campo.

O irmão de Wan Hui estava servindo o exército na aldeia de Anxi, e eles não tinham notícias dele há muitos anos. Seus pais pensaram que ele havia morrido e choravam dia e noite.

Wan Hui viu como seus pais estavam aflitos e ele sabia por quê. Um dia, ele se ajoelhou na frente de seus pais e disse: “Vocês estão tão tristes porque não têm recebido notícias do meu irmão?” Seus pais ficaram surpresos por ele saber disso. Eles disseram que era verdade que estavam preocupados. Wan Hui se levantou e disse: “Pensem no que meu irmão pode precisar — roupas, sapatos, chapéus, comida ou qualquer coisa. Separem tudo. Eu vou procurá-lo”.

Seus pais imediatamente prepararam as coisas que achavam que seu filho poderia precisar, e Wan Hui partiu para a fronteira na manhã seguinte. Mas ele voltou naquela mesma noite e disse a seus pais: “Meu irmão está vivo e está na fronteira”. Ele lhes deu uma carta que seu irmão havia escrito e, realmente, era a carta do irmão mais velho.

Seus pais ficaram surpresos. Havia mais de 10 mil milhas chinesas entre Wenxiang e Anxi, mas Wan Hui só levou um dia para fazer a viagem de ida e volta. Eles pararam de chamá-lo de idiota e o chamaram de Wan Hui, que literalmente significa percorrer 10 mil milhas chinesas de um lado para o outro.

Quando o monge Xuanzang (Tripitaka no romance clássico “Viagem ao Oeste”) viajou para a Índia para obter as escrituras budistas, viu uma inscrição em um nicho de um templo que dizia “Bodhisattva Wan Hui desceu a Wenxiang para obter a iluminação”. ” Ele guardou as palavras em sua mente. Em sua viagem de retorno da Índia, ele fez uma viagem especial a Wenxiang. Ele perguntou aos aldeões: “Existe aqui um eminente monge chamado Wan Hui? Poderiam trazê-lo aqui?

Wan Hui foi até Xuanzang, que lhe deu uma túnica, uma tigela e uma garrafa como presentes. Quando a imperatriz Wu Zetian, que governou a China de 684 a 705, ouviu falar da história, mandou chamar Wan Hui à corte imperial e pediu conselhos e previsões sobre muitos assuntos. As profecias de Wan Hui eram precisas.

O oficial Zhang Yizhi estava renovando sua residência nessa época. Wan Hui apontou para a casa e disse “Jiang zuo”, que significa “converter-se”. Ninguém sabia o que ele queria dizer. Mas pouco depois, Zhang foi morto em um golpe que derrubou Wu Zetian. Sua casa converteu-se em uma prisão.

Wan Hui disse uma vez à imperatriz Wei e sua filha, a princesa Anle, que elas seriam assassinadas por Sanlang (o terceiro filho). A imperatriz Wei era a esposa do imperador Zhongzong da dinastia Tang. Temendo que pudesse ser destronada, ela envenenou o imperador Zhongzong. Ela tinha sede de poder e não se preocupou com a adivinhação de Wan Hui. O tempo passou e ela foi assassinada por Li Longji, o terceiro filho do Imperador Ruizong, como Wan Hui havia previsto. Li Longji herdou o trono como imperador Xuanzong.

Antes do imperador Ruizong subir ao trono, ele costumava viajar incógnito. Sempre que fazia isso, Wan Hui ficava parado no meio da multidão e gritava: “O imperador está chegando!” Em qualquer lugar onde ele parava, com certeza, Ruizong passaria por aquele lugar um ou dois dias depois. E Wan Hui estava certo; Ruizong subiu ao trono.

O príncipe da Coroa Huizhuang era o segundo filho de Ruizong. Quando a imperatriz Wu Zetian pediu a Wan Hui para adivinhar sua sorte, Wan Hui disse: “Este menino é a reencarnação de um grande espírito de árvore das regiões ocidentais. Mantê-lo vai beneficiar o seu irmão”. Ruizong realmente teve outro filho, Shen. Shen era robusto e comia e bebia muito.

Nos anos de Jinglong (707-710), Wan Hui entrava e saía do palácio, das residências oficiais e das casas de cidadãos comuns. Os ricos, as pessoas com influência e as pessoas comuns pediam conselhos.

A princesa Taiping acreditava nas habilidades de Wan Hui e construiu uma casa ao lado da dele. No ano de Jingyun (710-711), Wan Hui faleceu naquela casa. Antes de dar seu último suspiro, ele enviou alguém para buscar água do rio de sua cidade natal. Seus discípulos não conseguiram encontrar. Wan Hui teve que apontar explicitamente que a água do rio poderia ser encontrada bem em frente à casa.

Todos começaram a cavar em frente aos degraus e, de repente, a água do rio jorrou. Wan Hui tomou um pouco de água e morreu mais tarde. A água desse poço ainda mantém até os dias de hoje um sabor doce.

(Extraído de “Extensos registros da era Taiping”)

 
Matérias Relacionadas