“Hands off Venezuela de inmediati!”, desafia Maduro em péssimo inglês (Vídeo)

EUA anunciaram sanções contra a petroleira estatal venezuelana PDVSA

Por Epoch Times

Um dos últimos discursos do ditador comunista Nicolás Maduro está se tornando viral, mas não pelas razões que ele esperava. O que está chamando a atenção é a maneira como ele tentou advertir Donald Trump para não se meter com os assuntos da Venezuela: “Hands off Venezuela, de inmediati!”, disse ele.

Diante do riso dos presentes, ele perguntou: “É assim que se diz? Não se diz inmediaty? “E insistiu:” Inmédiaty! “. “Não é assim, Donald Trump?”, acrescentou.

Assista:

Os Estados Unidos são um dos países com a posição mais dura em relação ao novo mandato de Nicolás Maduro, que tomou posse em 10 de janeiro sem o reconhecimento internacional.

Donald Trump foi um dos primeiros a reconhecer Juan Guaidó como presidente em exercício da Venezuela depois que ele assumiu o cargo em 23 de janeiro. Depois dele, vários outros chefes de Estado juntaram-se ao reconhecimento de Guaidó, incluindo Brasil, Argentina, Colômbia, OEA e Canadá.

Escalada das tensões

Na segunda-feira (28), os Estados Unidos anunciaram sanções contra a petroleira estatal venezuelana PDVSA. O Departamento do Tesouro disse que a companhia de petróleo tem sido durante muito tempo um veículo para a corrupção de autoridades e empresários venezuelanos. O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse que as sanções ajudarão “a impedir que Maduro continue desviando os ativos da Venezuela e a preservar esses ativos para o povo da Venezuela”.

As tensões entre os dois países pareceram diminuir um pouco depois que o regime de Maduro suspendeu sua exigência de que diplomatas norte-americanos deixassem o país em 72 horas, a partir de 26 de janeiro. A administração Trump rejeitou a ordem de Maduro de 23 de janeiro, argumentando que o ditador não tinha autoridade legal.

Em um comunicado, o Ministério das Relações Exteriores da Venezuela informou que oferece um prazo de 30 dias para negociar com autoridades norte-americanas a criação de um “escritório de interesses dos Estados Unidos” na Venezuela e um escritório venezuelano similar nos Estados Unidos.

Washington, por sua vez, aceitou a designação de Carlos Alfredo Vecchio como Encarregado de Negócios de Guaidó em 25 de janeiro. Ele será o representante do governo da Venezuela perante os Estados Unidos.

 
Matérias Relacionadas