Guarda de escola primária fere 40 ao atacar funcionários e alunos 

Pessoas fora da escola ouviram gritos trágicos por volta das 8 da manhã

Por Epoch Video

Nos últimos anos, vários ataques violentos ocorreram em jardins de infância e escolas primárias na China.

Em 4 de junho, um guarda escolar cortou numerosos funcionários e alunos da Escola Primária Central da cidade de Wangfu, cidade de Wuzhou, província de Guangxi. O governo local anunciou que o autor era Li Xiaomin, de 50 anos. Cerca de 40 pessoas ficaram feridas, três seriamente: o diretor, outro guarda e um estudante.

Afirma-se que o agressor é um doente mental. Inicialmente, as autoridades da escola não quiseram contratá-lo, mas seguiram em frente porque seu irmão mais velho é o diretor do Comitê de Educação local.

Uma fonte, que falou com o Epoch Times chinês sob condição de anonimato, revelou que pessoas fora da escola ouviram gritos trágicos por volta das 8 da manhã. No entanto, elas não puderam entrar no local porque o portão da escola estava trancado. Embora a delegacia esteja a apenas 100 metros da escola, foram vários professores que, juntos, lutaram com Li e o contiveram.

Segundo essa testemunha, outro guarda, gravemente ferido, lutou para se aproximar do portão para abri-lo; mas, com sangue por todo o corpo, ele acabou ficando fraco demais para segurar firmemente a chave. Dois professores correram para ajudá-lo e abriram o portão da escola.

A testemunha disse que o agressor entrou nas salas de aula, com a faca na mão, para atacar aleatoriamente as pessoas. Ele cutucou principalmente as cabeças das vítimas. Alguns alunos tiveram os dedos cortados. Foi muito assustador.

Alguns professores revelaram à testemunha que Li tem problemas mentais.

O vídeo a exibido mostra os pais carregando as crianças feridas às pressas para um hospital local.

Notícias apartidárias e independentes

O Epoch Times é apartidário e baseado em valores. Acreditamos que o verdadeiro jornalismo se baseia em princípios morais. Focamos em questões importantes, políticas e seu impacto, não partidarismo. Não seguimos a tendência antiética do jornalismo orientado a agendas, mas, em vez disso, usamos nossos princípios de Verdade e Tradição como nossa luz guia para reportar honestamente.

Estamos trabalhando dia e noite para cobrir o surto de vírus do PCC para você. Doar tão pouco quanto uma xícara de café ajudará a manter nossa mídia funcionando.

Ajude-nos agora doando um ‘CAFÉ’ para a equipe.

Veja também:

Regime chinês persegue e ataca companhia internacional de dança

 
Matérias Relacionadas