Grupo radical apoiado pelo Irã ofereceu US$ 100 mil pela destruição da nova embaixada dos EUA em Jerusalém

Por Joshua Philipp, Epoch Times

Um grupo de estudantes radicais ligados a uma organização de fachada do Exército de Guardiães da Revolução Islâmica (EGRI) do Irã, mais conhecido como Guarda Revolucionária Iraniana, está oferecendo um “prêmio” de US$ 100 mil pela destruição da nova embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém. A organização divulgou seu anúncio numa imagem, que foi relatada pelos principais veículos de notícias iranianos.

De acordo com uma tradução em inglês da reportagem da agência de notícias FARS, a voz semioficial do regime iraniano, o Movimento Judiciário Estudantil anunciou que daria o dinheiro a qualquer um que pudesse “manipular” o prédio.

Também observou que o grupo de estudantes pediu a um diplomata que “respondesse por que não houve qualquer ação contra o sangue dos novos mártires” ou sobre “equipar a Cisjordânia”.

O grupo de estudantes é supostamente afiliado aos Estudantes Basij, parte do Basij, uma força paramilitar que recebe ordens do EGRI do regime iraniano e do líder supremo do Irã.

O Irã é o patrocinador do terrorismo mais prolífico do mundo, principalmente por meio do seu EGRI, mas também por meio do seu apoio ao Hamas e ao Hezbollah. Entre suas principais atividades está o financiamento de terroristas e suas famílias, incluindo pagamentos a famílias de homens-bomba.

Os pagamentos muitas vezes passam por organizações intermediárias sem fins lucrativos para o governo na Palestina, que então paga as famílias de terroristas. O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu levantou a questão durante um discurso em 6 de março no Comitê dos Assuntos Públicos dos EUA em Israel (AIPAC, na sigla em inglês).

Netanyahu afirmou que o presidente palestino Mahmoud Abbas paga cerca de US$ 350 milhões por ano para terroristas e suas famílias. “Isso é pouco menos de 10% do orçamento total da Palestina. Esse é um número incrível”, disse Netanyahu.

“Ele paga Hakim Awad, o terrorista que assassinou esta bela família de Ehud e Ruth Fogel e seus três filhos e uma menina de três meses, ele paga Hakim Awad, esse assassino. Ao longo da vida deste assassino, ele receberá US$ 2 milhões.”

“Tenho uma mensagem para o presidente Abbas: pare de pagar terroristas! Que mensagem isso envia para as crianças palestinas? Isso diz assassinar judeus e ficar rico!”

“E acredito que o presidente Abbas deveria encontrar melhor uso para esse dinheiro. Para construir estradas, escolas hospitais, fábricas. Construa vida. Não pague pela morte.”

Em outubro de 2017, a gestão Trump designou o EGRI como um grupo terrorista. O secretário do Departamento do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse num comunicado que “o EGRI desempenhou um papel central para o Irã se tornar o principal patrocinador do terrorismo no mundo”.

 
Matérias Relacionadas