Grupo exige liberdade ‘imediata e incondicional’ do artista cubano Otero Alcántara

Por Agência EFE

Um grupo de escritores, pintores, curadores, educadores e fotógrafos, entre outros representantes de diversas expressões culturais, publicou uma carta aberta ao líder cubano, Miguel Díaz-Canel , condenando a prisão do artista plástico Luis Manuel Otero Alcántara e exigindo sua “imediata e incondicional “Liberdade.

Otero Alcántara, líder do Movimento San Isidro, grupo a favor da liberdade de expressão em Cuba , está internado no hospital Calixto García – sob controle do Estado – desde 2 de maio, para onde foi levado contra sua vontade após oito dias de greve de fome após o confisco de suas obras de arte pela polícia, eles indicam na carta.

Também assinalam ao dirigente cubano que foram presos amigos de Otero Alcántara que tentaram visitá-lo, segundo a carta publicada na revista The New York Review.

O grupo também asseguram que lhes causou “grande preocupação” o artista parecer deteriorado fisicamente, de acordo com um vídeo que as autoridades divulgaram recentemente.

Lembram na carta, que tem entre seus signatários a famosa pintora de origem etíope Julie Mehretu e o artista britânico, escritor, cineasta, roteirista e curador de arte de ascendência ganense John Akomfrah, que antes de ser hospitalizado Otero Alcántara enfrentou “assédio e intimidação de agentes de segurança do Estado por seu trabalho como artista e defensor dos direitos humanos ”.

Também denunciam que Otero Alcántara foi preso mais de 50 vezes desde 2019 por suas ações e defesa dos direitos civis dos cubanos.

“Ele tem sido alvo de assédio constante, prisão domiciliar prolongada, interrupção das telecomunicações e campanhas difamatórias da mídia estatal cubana”, diz o grupo, que inclui também o escritor dominicano Junot Díaz, o artista e cineasta britânico Isaac Julien e o artista interdisciplinar, curadora e escritora de origem cubana residente em Nova Iorque Coco Fusco.

Eles acrescentam que o artista está sendo detido “apenas por expressar pacificamente suas ideias por meio de sua arte e por sua defesa não violenta dos direitos humanos”.

“Pedimos que garanta sua libertação imediata e incondicional”, afirmam na carta também assinada pelo escritor haitiano-americano Edwidge Danticat e pelo artista visual nova-iorquino Juan Sánchez, entre outros, de uma dezena de países.

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas