Grupo de médicos pede que governo Biden acabe com quarentena e recomendações de vacinas para crianças

A fase de emergência da COVID-19 acabou. Apelamos ao CDC para atualizar as diretrizes atuais"

Por Zachary Stieber

Um grupo de médicos está pedindo aos funcionários do governo que revertam rapidamente as recomendações que deixaram as crianças isoladas por dias e aconselham que praticamente todas as crianças recebam a vacina da COVID-19.

“Pedimos que você revise as diretrizes para a COVID-19 do CDC no que diz respeito a testes, isolamento e recomendações de vacinas para crianças para garantir que as políticas de saúde pública não estejam fazendo mais mal do que bem”, escreveu o grupo Urgency of Normal na Carta aberta ao Dr. Ashish Jha, coordenador de resposta à COVID-19 da Casa Branca, e à Dra. Rochelle Walensky, diretora dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

As diretrizes do CDC dizem que as pessoas, incluindo crianças, expostas a COVID-19 devem ficar em quarentena por pelo menos cinco dias e incentivar testes generalizados para a COVID-19.

A agência também recomenda que todas as crianças com 6 meses de idade ou mais recebam a vacina para a COVID-19, após a recente autorização das vacinas Moderna e Pfizer para crianças menores de 5 anos.

Os médicos observaram que muitos países europeus, alguns estados dos EUA e outras áreas têm atualizado as políticas da COVID-19 para reduzir os períodos de quarentena, a frequência de testes e a vacinação forçada.

Eles estão pedindo às autoridades dos EUA que se adaptem a uma abordagem “teste para tratar”, que se concentraria em recomendar a vacinação e tratamentos para aqueles com maior risco da COVID-19, que são principalmente idosos e pessoas com graves condições de saúde.

O CDC também deve mudar suas recomendações de vacinas, que levaram a mandatos de vacinação em faculdades e até mesmo em algumas escolas primárias, para que as crianças que recebem a vacina, sejam avaliadas entre o responsável e seu médico.

“A fase de emergência da COVID-19 acabou. Apelamos ao CDC para atualizar as diretrizes atuais, para refletir a era do manejo endêmico em que as infecções pela COVID-19 são tratadas de forma semelhante a outros vírus respiratórios sazonais, que não requerem testes de rotina ou isolamento. É hora de nos unirmos aos outros países no reconhecimento da importância de restaurar o acesso equitativo e máximo à educação, esportes e conexão social para todas as crianças. A saúde e o bem-estar delas dependem disso”, disse o grupo.

A Casa Branca e o CDC não retornaram ao pedido.

A Dra. Jeanne Noble, professora associada de medicina de emergência da Universidade da Califórnia, em São Francisco, e uma das médicas do grupo, disse ao Epoch Times em um e-mail que o grupo ainda não recebeu resposta da Casa Branca ou do CDC.

“No momento, o objetivo desta carta é pressionar pela normalização das atividades sociais e extracurriculares das crianças durante o verão, para que nossos alunos com maior necessidade possam se beneficiar do acesso irrestrito a programas de enriquecimento de verão e que todas as crianças desfrutem de acampamentos de verão e esportes sem exclusão com base em testes e requisitos de vacinação”, disse Noble.

“É nossa esperança que ir além das políticas de pandemia durante o verão, abra ainda mais o caminho para um retorno completo a um ano letivo normal no outono, livre de restrições específicas da COVID.”

 

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas