Grupo artístico planeja rodar a China para conscientizar o país

Um grupo artístico especial surgiu recentemente na China, mas não para entreter e sim para expressar as injustiças sofridas pelo povo chinês sob o domínio do Partido Comunista e para conscientizar o mundo a respeito do sofrimento dos peticionários na China.

O anúncio de recrutamento do grupo foi publicado no website Campanha dos Direitos Humanos na China, que se descreve como uma “organização comunitária” que visa “proteger os direitos fundamentais e a dignidade dos pobres da China e promover uma sociedade mais justa”. O anúncio fornecia os números de telefone dos organizadores na China para os voluntários entrarem em contato.

O anúncio diz: “Nossa crença constante é que a justiça deve prevalecer sobre o mal! Nós definitivamente não ficaremos inertes para que o mal se espalhe e despreze a vida humana!”

Guo Qizhen, que fundou o grupo artístico, disse que oferece uma plataforma para peticionários expressarem seus ressentimentos e apelarem por justiça por meio da encenação de suas histórias reais combinadas com música, canto, drama e assim por diante.

“Eu apelei por cerca de 20 anos e testemunhei a vida miserável dos peticionários na China”, disse Guo ao Epoch Times por telefone. “No Dia Internacional dos Direitos Humanos, 10 de dezembro, doze peticionários tentaram suicídio coletivo em Hubei. Dois meses atrás, um peticionário se autoimolou na Estação Ferroviária do Sul de Pequim. Eu estabeleci este grupo artístico como uma plataforma para as pessoas acusarem a humilhação e a injustiça, para expressar a insatisfação dos peticionários e evitar incidentes fatais.”

O anúncio público de recrutamento visa a receber pessoas que sejam simpáticas e entusiastas com o bem-estar público, e que sejam capazes de atuar artisticamente para refletir objetivamente as experiências e miséria dos peticionários chineses.

O anúncio diz: “Desde que haja um peticionário cujos direitos foram prejudicados, todos que tem compaixão e consciência estão obrigados a se opor à injustiça e ser responsáveis por enviar energia positiva para a sociedade!”

“Eu compus letras sobre minha experiência como peticionário e canto melodias e outras músicas para contar minhas queixas”, disse Chen Shuhua, um peticionário da cidade de Langfang, província de Hebei, norte da China, que se juntou ao grupo. Ele disse ao Epoch Times por telefone: “Eu fui enganado quando comprei uma casa e tenho apelado ao governo por 10 anos. No entanto, [os funcionários de] Langfang querem manter zerado o registro de casos de apelação [por razões políticas], e assim eles me detiveram em prisões negras três vezes.”

“Na ocasião mais recente, eu foi detido num quarto de menos de 10 metros quadrados sem permissão para sair ou tomar banho. Eles me deram medicamento para dormir por 48 horas.”

O fundador do grupo, Guo Qizhen, foi preso em 1994 por causa de um conflito que teve com Ma Guichen, um funcionário de alto escalão da gestão de habitação local. Ele reportou sobre a corrupção de Ma e foi preso por um ano por vingança de Ma em 1995.

Guo peticiona por isso desde então, mas não conseguiu obter qualquer resposta do governo. Ele também tem apoiado outros peticionários e ativistas de direitos que são reprimidos pelas autoridades.

Depois de escrever artigos francos na internet criticando o governo, Guo foi novamente condenado à prisão em 2006 por “subversão do poder do Estado”. Ele foi solto em maio de 2010.

De acordo com o anúncio de recrutamento, o grupo planeja fazer uma turnê pela China no próximo ano.

 
Matérias Relacionadas