Grande asteroide com lua própria passará próximo da Terra neste fim de semana

Por Isabel Van Brugen

Um asteroide que mede aproximadamente uma milha de largura e é orbitado pela sua própria lua deve passar pela Terra no sábado, 25 de maio, a velocidades de 772 km/h.

O asteroide, que foi descoberto há 20 anos, é apelidado pela NASA como Asteroid 1999 KW4 e deve ficar visível até 27 de maio.

Apesar de sua classificação “potencialmente perigosa” pelo Minor Planet Center do Observatório Astrofísico Smithsonian, espera-se que o Asteroid 1999 KW4 passe pela Terra com segurança às 23:05 UTC.

A distância mais próxima que a rocha espacial é esperada da Terra é estimada em 3.216.271 milhas – ou 13,5 vezes a distância até a lua, informou o Mail Online.

O asteroide é descrito pelo Observatório de Las Cumbres como “ligeiramente achatado nos pólos e com uma crista montanhosa ao redor do equador, que percorre todo o asteroide.

“O corpo principal (primário) de 1999 KW4 é de cerca de 1300 metros de diâmetro, mas é na verdade uma forma bastante complexa”, disseram pesquisadores do Observatório de Las Cumbres.

“Essa cordilheira dá ao primário uma aparência semelhante a uma noz ou um pião”.

O asteroide, que foi descoberto pela primeira vez pelo levantamento astronômico Lincoln-Earth-Asteroid Researcher (LINEAR), em Socorro, Novo México, em 1999, está estimado em algo entre 1,2 km a 1,9 km de diâmetro, de acordo com o JPL da NASA.

O embaixador da NASA, Eddie Irizarry, da Sociedade Astronômica do Caribe, confirmou que o asteroide não será visível a olho nu, mas encoraja os astrônomos amadores a tentar localizá-lo ao passar pela Terra.

“1999 KW4 está viajando a 77,446 km/h, em relação à Terra”, disse ele à EarthSky.

“Sua velocidade rápida, combinada com o tamanho deste asteroide, permitirá que os astrônomos amadores o observem enquanto se move na frente das estrelas.”

“A rocha espacial não será visível apenas a olho nu, mas os entusiastas do céu equipados com oito polegadas de diâmetro e telescópios maiores poderão ver o asteroide, que pode atingir uma magnitude visual de cerca de 12 durante a aproximação”, acrescentou.

A Agência Espacial Européia (ESA) compartilhou em 14 de maio uma imagem da KW4 de 1999, “observada pela primeira vez na terra, na aparição atual, emergindo da conjunção solar”, publicada em seu site oficial.

Colaborando com o Observatoire des Makes na ilha francesa, La Réunion, a agência espacial capturou as observações como parte da campanha de observação da IAWN em andamento.

Em 25 de maio, ele colaborará com a IAWN para “coletar o maior número de observações possível, com tantas técnicas de observação e comprimentos de onda quanto possível”, disse a ESA.

“O objetivo é colocar os observatórios e telescópios à prova, para tomar conhecimento de que tipo de informação pode ser coletada em curto prazo, no caso de uma futura aproximação de um asteroide possivelmente ameaçador”, explicou a agência espacial.

O próximo encontro próximo do asteroide com a Terra acontecerá em 25 de maio de 2036, quando será ainda mais próximo, de acordo com a EarthSky.

 
Matérias Relacionadas