Governo da Ucrânia promove evento para expor extração forçada de órgãos na China

Um workshop dedicado aos crimes de extração forçada de órgãos, sancionados pelo regime chinês, foi realizado pelo Conselho Supremo da Ucrânia em 15 de julho de 2015.

O evento foi realizado num momento em que o conselho está revisitando e revisando as leis ucranianas sobre transplantes de órgãos, especialmente transplantes de órgãos internacionais.

Leia também:
Taiwan: nova lei proíbe turismo de transplante
China: 16 anos de perseguição, 2 milhões de mortos
Enfermeiros da China afirmam: extração de órgãos e transplantes ilegais não são mito

Médicos, acadêmicos e políticos da Ucrânia, Canadá, Bielorrússia e outros países participaram do workshop.

David Matas, advogado canadense de direitos humanos, participou da oficina e expôs os recentes desenvolvimentos em sua investigação sobre a extração de órgãos do PCC (Partido Comunista Chinês) de praticantes de Falun Gong.

Matas destacou a “Resolução do Parlamento Europeu de 11 de dezembro 2013 sobre extração de órgãos na China.” A resolução expressa profunda preocupação com os relatos persistentes e credíveis sobre a extração de órgãos, prática sistemática realizada sem o consentimento dos prisioneiros de consciência, incluindo grande número de praticantes de Falun Gong, presos por suas crenças religiosas, e membros de outros grupos minoritários étnicos e religiosos, sancionada pelo Estado chinês. A resolução apela a uma investigação completa e transparente por parte da União Europeia.

Cópia do documentário “Mortos por Órgãos: O Segredo de Estado dos Negócios de Transplantes da China” foi dada a cada membro parlamentar ucraniano participante.

David Matas fala no workshop sobre transplantes de órgãos na Ucrânia (Minghui.org)
David Matas fala no workshop sobre transplantes de órgãos na Ucrânia (Minghui.org)

Os presentes aprenderam que Falun Gong é uma prática pacífica de cultivo da mente e do corpo. Matas aconselhou os participantes a lerem a investigação independente, conduzida por ambos, Matas e o ex-secretário de Estado canadense David Kilgour, que confirmou que dezenas de milhares de praticantes de Falun Gong em toda a China foram mortos por seus órgãos desde 2001.

O relatório expõe a extração de órgãos e o genocídio em grande escala dos praticantes de Falun Gong, orquestrados e sistematizados pelo PCC. Os serviços de transplante de órgãos na China foram promovidos em nível internacional por meio de anúncios na internet. Matas convidou o Conselho Supremo da Ucrânia a levar o abuso de transplante de órgãos em consideração quando revisar as leis ucranianas, para evitar ser parte do abuso.

Matas exortou ainda o Conselho Supremo da Ucrânia a banir o comércio e turismo de transplantes: “A legislação ucraniana deve se recusar a se envolver em qualquer abuso internacional de transplante de órgãos.”

A legislação proposta é a de criminalizar qualquer participação na extração forçada de órgãos, incluindo a compra de tais órgãos. Matas elogiou o Conselho Supremo da Ucrânia por lançar luz sobre esta questão na Ucrânia.

 
Matérias Relacionadas