Governo socialista espanhol na corda bamba

Socialistas têm menos de um quarto dos assentos no Parlamento e precisavam do apoio de partidos regionais menores, inclusive os catalães, para aprovarem a proposta de orçamento

Por Fernanda Salles, Terça Livre

O Parlamento da Espanha rejeitou o esboço de orçamento do governo para 2019 nesta quarta-feira (13), abrindo caminho para a queda do socialista Pedro Sánchez.

Na terça-feira, fontes do governo e do partido socialista do primeiro-ministro espanhol, disseram à Reuters que ele convocaria uma eleição antecipada se o esboço fosse rejeitado, e que 14 e 28 de abril seriam as datas mais prováveis.

Os socialistas têm menos de um quarto dos assentos no Parlamento e precisavam do apoio de partidos regionais menores, inclusive os catalães, para aprovarem a proposta de orçamento.

Mas os partidos catalães, insatisfeitos com a recusa de Madri de cogitar ou debater, entre outras questões, um referendo de independência para a região do nordeste do país, votaram contra a proposta, assim como a centro-direita e os conservadores.

Ao todo, 191 parlamentares votaram contra o orçamento e 158 a favor, e houve uma abstenção.

O líder do Partido Popular, Pablo Casado, classificou o resultado como “uma moção de desconfiança contra Pedro Sánchez”.

As divisões profundas entre espanhóis pró-união e secessionistas da Catalunha foram sublinhadas na terça-feira, início do julgamento de 12 separatistas acusados de rebelião após uma tentativa de separação em outubro de 2017.

Com informações da Agência Reuters

 
Matérias Relacionadas