Governo chinês admite transmissão da gripe aviária entre humanos

Em 27 de janeiro, as autoridades chinesas reconheceram pela primeira vez que descobriram casos de infecção de humano para humano da gripe aviária H7N9, mas não entraram em detalhes supostamente na tentativa de evitar o pânico público.

Numa breve declaração em 27 de janeiro, as autoridades disseram que a transmissão de humano para humano foi registrada na província de Zhejiang, no Leste da China. Eles não especificaram o número de casos nem a cidade em que ocorreram.

O Departamento Conjunto de Prevenção e Controle do H7N9 disse que a infecção ou infecções ocorreram sob “condições particulares” e de “transmissão não sustentada”, ou seja, não se espera um surto a partir desse incidente.

O caso em Zhejiang seria a primeira vez que a transmissão de humano para humano foi oficialmente reconhecida pelas autoridades desde que o H7N9, uma nova variante da gripe aviária, foi registrado na China pela primeira vez em março de 2013.

Especialistas do Centro de Controle de Doenças da China, no entanto, disseram que foi apenas um “caso especial” e que a transmissão do H7N9 de humano para humano ainda não é muito difundida.

“O público não tem necessidade de ficar muito em pânico”, disse a Xinhua, uma mídia estatal porta-voz do Partido Comunista Chinês.

Zhejiang tem um histórico ruim com infecções do H7N9: foram registrados 49 casos e 12 mortes este mês, diz o último relatório oficial.

O recém-publicado “Plano de tratamento de infecção humana com a gripe aviária H7N9”, do Ministério da Saúde e do Planejamento Familiar da China, também lista agora “infecção limitada e não sustentada de humano para humano”, como uma das formas de disseminação do vírus H7N9.

Mecanismos de transmissão mais comuns incluem “a infecção por meio do trato respiratório, por meio do contato próximo com secreções ou excreções de aves infectadas e por meio do contato com o ambiente contaminado”.

Apesar das tentativas das autoridades de controle de danos em enfatizar o caráter limitado de transmissão de humano para humano, a notícia ainda veio como altamente indesejável para o público. Muitas internautas postaram que evitariam comer aves para se proteger de contrair o vírus. (Embora ele não se espalhe a partir do consumo de carne de frango.)

Um grande número de internautas chineses relatou informalmente que mais pessoas parecem estar ficando doente em comparação com o ano passado.

“Eu tenho de revelar a verdade às pessoas. Muitos aqui em Harbin estão doentes, muitas vezes mais do que no mesmo período em anos anteriores”, comentou um internauta anônimo da província de Heilongjiang, no Norte da China. “Há adultos e crianças que têm febre acima de 40ºC. Muitos deles desenvolveram pneumonia.”

Blogueiros difundiram esses comentários anonimamente porque a informação sobre a propagação da doença é altamente controlada e censurada pelas autoridades comunistas, e os cidadãos chineses que divulgam essas informações sem autorização podem ser severamente punidos.

“Eles não confirmaram ter H7N9, mas a verdade é que há gripe, resfriado e pneumonia em grande escala ocorrendo, e a infecciosidade é muito forte. Quem pode nos dar uma explicação?”, prosseguiu a postagem anônima. “Mesmo os enfermeiros e médicos estão tendo febre e adoecendo. O que devemos fazer?”

Não existe atualmente tratamento médico estabelecido e eficaz ou vacina contra o H7N9. Especialistas chineses em saúde e controle de doenças sugerem que as pessoas devem lavar as mãos com mais frequência, se exercitar mais, usar máscaras quando entrarem em contato com aves e evitar aves vivas.

No ano passado, 144 pessoas foram diagnosticadas com o H7N9 na China, mas, apenas este mês, houve 103 pacientes com gripe aviária H7N9, segundo relatórios oficiais chineses, que podem estar incompletos. Pelo menos 20 morreram de infecção este ano. Novos relatórios são publicados diariamente com mais casos.

 
Matérias Relacionadas