Governo Biden reverte as ordens do Trump para banir o TikTok e conduz sua própria revisão

Por Jack Phillips

O governo Biden rejeitou na quarta-feira as ordens do ex-presidente Donald Trump que tentavam banir os aplicativos de mídia social TikTok e WeChat por causa de riscos à segurança devido às suas conexões com o Partido Comunista Chinês (PCC), dizendo que o governo fará sua própria revisão dos aplicativos com laços com o regime chinês.

Uma ordem executiva assinada pelo presidente Joe Biden instrui o Departamento de Comércio dos Estados Unidos a “avaliar essas ameaças por meio de uma análise rigorosa e baseada em evidências, e abordar qualquer risco inaceitável ou indevido sob a segurança nacional geral, política externa e metas econômicas, incluindo a preservação e demonstração dos valores centrais e das liberdades fundamentais da América. ”

O Departamento de Comércio, de acordo com a Casa Branca, deve agora revisar o TikTok, WeChat e outros aplicativos desenvolvidos, projetados, controlados ou fabricados por entidades vinculadas ao PCC. A ordem observou que esses aplicativos “podem representar um risco indevido ou inaceitável para a segurança nacional dos Estados Unidos e do povo americano”.

As ações executivas de Trump visando a ByteDance, uma empresa sediada em Pequim que é dona da TikTok, e a WeChat, que é propriedade da Tencent Holdings sediada em Shenzhen, foram bloqueadas por várias ordens judiciais federais. Trump também tentou forçar a venda do TikTok.

A TikTok buscou reparação por meio do Tribunal de Apelações do Distrito de Columbia para uma revisão da ordem de desinvestimento de Trump e a ordem do governo federal de conduzir uma revisão da segurança nacional.

Funcionários anônimos da administração Biden disseram ao Wall Street Journal que a última ordem executiva foi projetada para substituir as ordens de Trump por um processo mais amplo visando aplicativos que podem ter conexões com adversários estrangeiros, incluindo o PCC. O Epoch Times entrou em contato com o Departamento de Comércio para comentar.

Uma mulher passa pela sede da ByteDance, a empresa-mãe do aplicativo de compartilhamento de vídeo TikTok, em Pequim em 16 de setembro de 2020 (Greg Baker / AFP via Getty Images)

A ordem da administração Trump afetando TikTok e ByteDance, que também contribuíram com fundos para o site de “verificação de fatos” LeadStores do Facebook , proibiu “qualquer transação por qualquer pessoa, ou com relação a qualquer propriedade, sujeita à jurisdição dos Estados Unidos, com ByteDance Ltd ”, entre outras restrições.

No ano passado, especialistas em segurança cibernética alertaram que o TikTok está sendo usado pelo regime chinês para espionar os americanos. Os críticos também alertaram que o conteúdo do usuário poderia ser censurado se o PCC considerá-lo politicamente sensível, mesmo que o usuário more fora da China.

Casey Fleming, CEO da empresa de estratégia de inteligência e segurança BlackOps Partners, disse ao Epoch Times que “toda tecnologia que sai da China – seja feita na China, criada na China – é controlada pelo PCC”.

E Mark Grabowski, professor associado especializado em lei cibernética e ética digital na Adelphi University, disse ao Epoch Times que o TikTok nada mais é do que “um malware do governo chinês se passando por um aplicativo de mídia social”.

“O aplicativo coleta muito mais dados do que precisa”, disse Grabowski por e-mail no ano passado. “Por exemplo, é estranho que o TikTok rastreie por GPS [Sistema de Posicionamento Global], já que os vídeos do TikTok não mostram informações de localização.”

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 

 
Matérias Relacionadas