George Soros investe US$125 milhões no super PAC antes das eleições de meio de mandato de 2022

Nos últimos anos, Soros gerou controvérsia por suas doações a candidatos de esquerda

Por Jack Phillips 

O bilionário de esquerda George Soros forneceu US $125 milhões a um super PAC alinhado aos democratas para promover grupos e candidatos democratas antes das eleições de meio de mandato de 2022.

O polêmico investidor de 91 anos de idade confirmou seus planos à Politico na sexta-feira, afirmando que a grande doação ao Democracy PAC, que ele estabeleceu em 2019, como seu principal comitê de ação política para apoiar os democratas, é um “investimento de longo prazo” além das eleições de 2022.

Soros afirmou que o novo financiamento apoiará “causas e candidatos pró-democracia, independentemente do partido político” e está envolvido no “reforço da infraestrutura da democracia americana: direitos de voto e participação cívica, direitos e liberdades civis e o estado de direito”.

O filho de Soros, Alexander Soros, servirá como presidente do Democracy PAC. O jovem Soros emitiu uma declaração à mídia sobre o desenvolvimento, referindo-se imediatamente à invasão do Capitólio no dia 6 de janeiro de 2021.

De acordo com sua declaração, Soros afirma acreditar que há uma “ameaça existencial à nossa democracia” pelas supostas tentativas de “desacreditar” e minar nosso processo eleitoral”.

“Esta é uma ameaça geracional que não pode ser abordada em apenas um ou dois ciclos eleitorais”, afirmou Alex Soros. “O Democracy PAC agora está pronto para cumprir sua missão de preservar e proteger nossa democracia para o futuro”.

Os gastos do Democracy PAC serão divulgados na segunda-feira, dia 31 de janeiro, após serem protocolados na Comissão Eleitoral Federal, segundo a Politico.

Nos últimos anos, Soros gerou controvérsia por suas doações a candidatos de esquerda, incluindo promotores públicos que promoveram e aplicaram políticas que, segundo os críticos, permitem que criminosos e reincidentes voltem às ruas. Soros, em maio de 2021, doou US $1 milhão ao Color of Change PAC, cujo site defende explicitamente o “desfinanciamento da polícia”, de acordo com os registros da Comissão Eleitoral Federal.

Soros também forneceu à promotora de Chicago, Kim Foxx, cerca de US $300.000 por sua primeira campanha em 2016 e outros US $2 milhões por sua reeleição em novembro de 2021, segundo os registros, informou o New York Post. Também financiou o controverso procurador distrital de Los Angeles, George Gascon, que está enfrentando o impeachment após os críticos afirmarem que seu escritório adotou uma postura branda em relação ao crime, além de fornecer US $1 milhão ao recém-eleito promotor distrital do distrito de Manhattan, Alvin Braga, entre outros.

No início de janeiro, o democrata Bragg anunciou em um memorando (pdf) que não processará certos crimes, incluindo contravenções relacionadas à maconha, falta de pagamento de passagem de transporte público, invasão de domicílio, exceto por uma acusação de assédio, resistência à autoridade, obstrução da administração do governo em certos casos e prostituição.

E em 2020, a Open Society Foundations de Soros investiu cerca de US $220 milhões em iniciativas que buscam promover causas de “justiça racial” de esquerda.

O Epoch Times entrou em contato com a Open Society Foundations de Soros para comentar sobre a doação de US $125 milhões. 

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas