General Heleno diz que setor de inteligência foi “derretido” por Dilma

"Nossa missão é tratar de segurança e viagens do presidente e cuidar do sistema de inteligência brasileira"

Por Congresso Em Foco

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, disse no dia 2 de janeiro que a área de inteligência, “derretida” pela ex-presidente Dilma Rousseff, foi resgatada pelo também general Sérgio Etchegoyen, que estava no comando da pasta desde junho de 2018. O novo ministro recebeu o cargo de Etchegoyen na manhã de hoje.

“Nossa missão é tratar de segurança e viagens do presidente e cuidar do sistema de inteligência brasileira. Esse sistema que foi recuperado pelo Etchegoyen, foi derretido pela senhora Rousseff que não acreditava em inteligência”, criticou ele, que recebeu aplausos dos convidados.

Além do GSI, na mesma cerimônia, a primeira da agenda do presidente Jair Bolsonaro depois de empossado, outras três pastas diretamente ligadas à Presidência da República tiveram suas transmissões de cargo. Casa Civil (Onyx Lorenzoni), Secretaria-Geral da Presidência (Gustavo Bebianno) e Secretaria de Governo (general Carlos Alberto dos Santos Cruz).

Também receberam os respectivos cargos na manhã de hoje os novos ministros Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), Sérgio Moro (Justiça e Segurança), almirante Bento Costa e Lima (Minas e Energia) e Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

À tarde, as solenidades serão das transmissões das pastas da Cidadania e Ação Social para Osmar Terra, da Saúde para Luiz Mandetta, da Economia para Paulo Guedes, da Infraestrutura para Tarcísio Gomes de Freitas, da Educação e Ricardo Vélez Rodriguez,do Turismo para Marcelo Álvaro Antônio e da pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos para Damares Alves.

Com informações da Agência Brasil

As opiniões expressas neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente as opiniões do Epoch Times.

 
Matérias Relacionadas