Fundo financiará plano ambiental envolvendo Brasil e mais quatro países

Por EFE

Santiago (Chile), 4 jun – O Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) aprovou nesta quinta-feira mais de US$ 27 milhões para a implementação de projetos ambientais no Brasil, no México, na Nicarágua, no Peru e no Uruguai, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que será responsável pela implementação desses programas.

Especificamente, haverá três projetos nacionais e um binacional que apoiará as comunidades para conservar a biodiversidade marinha, melhorar a sustentabilidade das cadeias alimentares, reverter a degradação do solo, promover a produção sustentável de alimentos e melhorar a gestão pública e privada dos recursos hídricos.

Essas novas iniciativas se somam a uma carteira de 53 projetos que mobilizaram mais de US$ 181 milhões do GEF em 18 países da região.

Um dos projetos a serem financiados é um programa binacional entre Brasil e Uruguai para a gestão conjunta de seus recursos hídricos transfronteiriços na bacia da Lagoa Mirim, a maior lagoa do país vizinho e segunda maior de todo o território brasileiro.

O GEF contribuirá com US$ 4,8 milhões para o projeto, que busca promover a expansão do transporte fluvial entre países sem prejudicar a biodiversidade, enfatizando o uso sustentável e eficiente da água e a adaptação às mudanças climáticas.

“A transformação das práticas agrícolas torna-se ainda mais relevante durante a pandemia da Covid-19. Precisamos ter sistemas de produção sustentáveis e resilientes que nos permitam estar preparados para enfrentar perturbações como crises de saúde ou os impactos das mudanças climáticas”, declarou a diretora de Políticas, Meio Ambiente e Mudanças Climáticas da FAO, Ignacia Holmes.

O GEF é uma parceria entre 18 agências e 183 países para tratar de questões ambientais globais e fornece subsídios aos países para enfrentar esses desafios.

 
Matérias Relacionadas