Fundador do Twitter Jack Dorsey deixa cargo de CEO: ‘efetivação imediata’

Dorsey ajudou a fundar a empresa em 2006 e também é o CEO da empresa de pagamentos Square

Por Jack Phillips

CEO e cofundador do Twitter, Jack Dorsey, está deixando o cargo de executivo-chefe da empresa de mídia social e será sucedido no cargo pelo Diretor de Tecnologia, Parag Agrawal, com efetivação imediata, de acordo com a empresa.

“Decidi deixar o Twitter porque acredito que a empresa está pronta para superar seus fundadores”, afirmou Dorsey, que ajudou a fundar a empresa em 2006, através de um comunicado divulgado pela empresa em 29 de novembro. “Minha confiança em Parag como CEO do Twitter é profunda. Seu trabalho nos últimos 10 anos foi transformador. Estou profundamente grato por sua habilidade, coração e alma. É sua hora de liderar”.

Agrawal, que está na empresa há mais de uma década, é diretor de tecnologia desde 2017, relatou um comunicado da empresa.

O conselho de diretores da empresa, com sede em São Francisco, aprovou por unanimidade Agrawal como CEO, de acordo com um comunicado do Twitter. Dorsey, que também é o CEO da empresa de pagamentos Square, permanecerá membro do conselho de diretores do Twitter até o próximo ano, quando seu mandato expirará, afirmou a empresa.

“Eu amo o Twitter”, Dorsey escreveu na plataforma de mídia social em 28 de novembro, antes do anúncio. Ele também postou um e-mail que enviou aos funcionários do Twitter sobre sua saída.

“Esta foi minha decisão e eu me responsabilizo”, escreveu Dorsey. “Foi difícil para mim”.

Além disso, Bret Taylor foi nomeado o novo presidente do conselho, sucedendo Patrick Pichette, que permanecerá no conselho e continuará a servir como presidente do comitê de auditoria.

Dorsey, de 45 anos, enfrentou a possibilidade de ser deposto em 2020, quando o grupo de interesse do Twitter, Elliott Management, tentou substituí-lo, já que o fundador da Elliott, Paul Singer, questionava se Dorsey deveria administrar a Square e o Twitter.

Após ajudar a fundar o Twitter em 2006 junto com Noah Glass, Biz Stone e Evan Williams, Dorsey foi CEO da empresa até 2008, quando foi afastado do cargo. Ele voltou a tornar-se o CEO da empresa em 2015, após o ex-CEO, Dick Costolo, deixar o cargo.

Dorsey também enfrentou críticas significativas de conservadores e defensores da liberdade de expressão pela decisão da plataforma de banir o então presidente Donald Trump, em janeiro de 2021. Na época, Dorsey reconheceu que “este momento pode exigir essa dinâmica, mas a longo prazo, será destrutivo para o nobre propósito e os ideais da internet aberta”.

Por anos, Dorsey apareceu ao lado do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, e de executivos do Google durante audiências no congresso transmitidas pela televisão, nas quais autoridades eleitas perguntavam se sua plataforma era responsável pela disseminação da chamada desinformação ou se está ativamente silenciando pontos de vista contrários ao público geral.

Em 29 de novembro, as ações do Twitter fecharam em queda de quase 3%.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas