Fotógrafa visita aldeia africana onde as pessoas vivem literalmente dentro de obras de arte

Grande parte da vila está completamente coberta de arte, desde as estruturas até as pinturas que cobrem as paredes

Por Epoch Times 

A blogueira Olga Stavrakis e a fotógrafa Rita Willaert entraram na aldeia isolada da África Ocidental de Burkina Faso, onde documentaram um povo extraordinário que vive em um habitat único.

A vila de Lies Tiebele é o lar do povo Kassena.

A aldeia, povoada pela primeira vez no século XV, ocupa 1,2 hectares e situa-se na base de uma colina, de frente para a vasta savana. O povo Kassena é um dos grupos étnicos mais antigos e organizados de Burkina Faso, com ancestrais que remontam a muitos séculos.

O mais impressionante é que grande parte da vila está completamente coberta de arte, desde as estruturas até as pinturas que cobrem as paredes. Em particular, as residências reais da vila, que consistem em habitações originais de barro, são adornadas com adornos geométricos pintados à mão, vívidos e intrincados, que as distinguem das casas mais comuns.

A decoração pintada tem um significado social, pois indica a importância de um morador na aldeia; quanto mais ornamentada a casa, maior o status do proprietário. Além disso, para maior segurança e proteção, as portas das residências reais são menores do que as das casas normais, então você precisa se abaixar para entrar.

(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)

“O palácio é uma série de prédios retangulares de tijolos de barro distribuídos em um recinto fechado, pertence à família do chefe”, escreveu Stavrakis no Flickr, onde relata suas viagens .

No entanto, nem todas as estruturas da cidade são residenciais; há mausoléus onde os mortos são mantidos, que geralmente são as estruturas mais elaboradas da cidade.

Durante a visita dos viajantes em 2009, o chefe da aldeia havia morrido um ano antes, e seu filho, que lhes deu um passeio pelo palácio, não pôde assumir até que os ritos fúnebres estivessem completos.

O filho do ex-chefe compartilhou que a causa do atraso foi econômica; eles estavam arrecadando dinheiro suficiente para pagar o gado e a comida para um banquete adequado.

Os visitantes entraram nas casas de barro da aldeia e descobriram estruturas simples de cozinha providas de algumas panelas de ferro e barro. A maioria das refeições são preparadas em uma panela comum sobre um braseiro.

(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)

“As refeições geralmente consistem em um foofoo amiláceo ou uma pasta grossa parecida com mingau que é mergulhada em um molho de legumes e pimentas”, explicou Stavrakis.

O povo de Lies Tiebele preservou essa cultura e seu modo de vida único por muito tempo.

Entre suas tradições, eles mantêm uma regra de vestimenta diferente de acordo com a posição social.

“Fomos informados de antemão que não deveríamos usar nada vermelho e não podíamos trazer guarda-chuvas”, afirmou Stavrakis ao My Modern Met.

(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)

“Apenas a família nobre principal tem esse privilégio e fazê-lo seria um grande insulto aos nossos anfitriões.”

Durante a visita, os anfitriões de Stavrakis e Willaert foram entretidos com um show de dança e comédia. O povo se reuniu para curtir a festa, que também contou com a presença da realeza.

(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)
(Cortesia de Olga Stavrakis)

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas