Foguetes sāo disparados do Líbano e Israel responde com artilharia

Por Agência EFE

Três foguetes foram lançados a leste do Líbano em direção a Israel , ativando alarmes antiaéreos em várias cidades da fronteira israelense, aos quais o Exército respondeu com fogo de artilharia contra o país árabe em três diferentes rodadas de ataques em duas horas.

“Pela terceira vez em duas horas, o Exército israelense atacou ao longo da fronteira libanesa”, em resposta aos projéteis lançados horas antes, relatou um porta-voz militar, que especificou que dois deles atingiram Israel e outro não conseguiu passar pela fronteira.

De acordo com a mídia local, os dois projéteis que atingiram o território israelense caíram em áreas despovoadas perto da cidade de Qiryat Shemona – bem próxima à fronteira com o Líbano – causando pequenos incêndios.

Os vizinhos da área ouviram fortes explosões, mas não houve feridos ou danos materiais significativos, enquanto o serviço de emergência israelense Maguen David Adom atendia várias pessoas que sofreram episódios de estresse devido ao ocorrido.

Dada a situação, o prefeito de Qiryat Shemona pediu aos moradores da cidade que fiquem perto dos abrigos antiaéreos até que novas instruções de segurança sejam emitidas, embora por enquanto não tenha havido mais lançamentos de foguetes do Líbano.

Segundo a mídia israelense, funcionários do aparato de defesa acreditam que a milícia libanesa xiita Hezbollah não estava por trás do ataque, que poderia ter sido cometido por grupos terroristas palestinos.

O lançamento de hoje do Líbano ocorre apenas duas semanas após outro incidente semelhante em 20 de julho, quando dois foguetes foram disparados do país árabe contra Israel, aos quais o Exército também respondeu com ataques de artilharia.

Na ocasião, a imprensa local já destacou que os foguetes não foram disparados pelo Hezbollah, mas por milícias palestinas ligadas ao movimento terrorista islâmico Hamas com base na área.

À medida que a crise piora no país árabe, em Israel aumentam os temores de que a situação de instabilidade dê asas ao Hezbollah – apoiado pelo Irã, principal inimigo de Israel – ou outros grupos armados e leve a uma nova conflagração.

Israel e Líbano ainda estão tecnicamente em guerra e não há relações diplomáticas entre eles.

Este episódio também coincide hoje com atos e protestos no Líbano por ocasião do primeiro aniversário da explosão no porto de Beirute, que causou mais de 200 mortos, 6.500 feridos e grande destruição.

Além disso, este ataque surge em um contexto de crescente tensão no Oriente Médio após o ataque na última quinta-feira a um navio-tanque operado por uma empresa de propriedade de um bilionário israelense.

Nos últimos dias, tanto Israel quanto os Estados Unidos e o Reino Unido responsabilizaram o Irã por esse ataque, provocando um aumento na tensão que incluiu ameaças israelenses de uma possível resposta dura.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

Veja também:

 
Matérias Relacionadas