FMI pede que El Salvador abandone Bitcoin como moeda oficial

Diretores do FMI destacaram 'que há grandes riscos associados ao uso do Bitcoin na estabilidade financeira'

Por Tom Ozimek 

O Fundo Monetário Internacional (FMI) instou El Salvador a abandonar o status do Bitcoin como moeda oficial do país, citando vários riscos, incluindo a estabilidade financeira.

As observações do FMI quanto ao uso do Bitcoin como moeda oficial no país da América Central, juntamente com o dólar americano, foram feitas em uma nota de revisão após uma missão de consulta do Artigo IV que avaliou a evolução financeira de El Salvador.

Embora a equipe do FMI tenha elogiado os esforços de El Salvador para aumentar a inclusão financeira, incluindo o lançamento da carteira eletrônica Chivo, que faz parte do ecossistema de criptomoedas do país, eles enfatizaram a necessidade de “regulamentação e supervisão rigorosas” tanto da carteira Chivo quanto do Bitcoin.

Os diretores do FMI destacaram “que há grandes riscos associados ao uso do Bitcoin na estabilidade financeira, integridade financeira e proteção do consumidor, bem como os passivos contingentes fiscais associados”, ao mesmo tempo em que instaram os legisladores de El Salvador para remover o status do Bitcoin como moeda legal.

A nota de advertência do FMI foi obtida com uma recepção crítica do presidente de El Salvador, Nayib Bukele, que postou um meme depreciativo no Twitter com a legenda: “Estou de olho em você, FMI. Isso é muito legal”.

Bukele, que tem sido um forte defensor do Bitcoin, liderou a adoção dele como a moeda oficial em El Salvador. Em setembro de 2021, El Salvador tornou-se o primeiro país do mundo a começar a usar o Bitcoin como moeda legal e, para incentivar sua adoção, lançou a carteira eletrônica Chivo, que veio pré-carregada com US $30 em Bitcoin.

De acordo com suas recentes recomendações do Artigo IV, o FMI expressou relutância em relação ao status de curso legal do Bitcoin em El Salvador nos meses que antecederam sua adoção.

“A adoção do Bitcoin como moeda oficial levanta uma série de questões macroeconômicas, financeiras e legais que exigem uma análise muito cuidadosa. Portanto, estamos monitorando de perto os desenvolvimentos e continuaremos nossas consultas com as autoridades ”, afirmou Gerry Rice, diretor do departamento de comunicações do FMI, em junho de 2021.

Mais recentemente, em uma postagem de blog de 29 de julho, anunciando a publicação de dois documentos de política sobre moedas digitais, o FMI reconheceu que “as oportunidades são imensas” para formas digitais de dinheiro, como transações mais baratas e a capacidade de aumentar a inclusão financeira. No entanto, a organização alertou para uma série de riscos, entre eles as implicações para a estabilidade econômica e financeira nacional, e o mais importante, as implicações para a estabilidade do sistema monetário internacional.

“Os menos estáveis ​​de todos, dificilmente qualificados como dinheiro, são os ativos criptográficos (como o Bitcoin) que não são lastreados e estão sujeitos aos caprichos das forças do mercado”, alertou o FMI na publicação.

No geral, em sua avaliação do Artigo IV, a equipe do FMI elogiou a liderança de El Salvador pela gestão “oportuna e eficaz” da pandemia, que, segundo eles, ajudou a economia do país a se recuperar fortemente da recessão causada pela COVID-19. Após contrair 7,6% em 2020, o PIB de El Salvador está prestes a crescer 10% em 2021 e 3,2% em 2022.

A organização internacional alertou, no entanto, que a dívida pública do país, que pode chegar a 96% do PIB em 2026, está em uma trajetória insustentável.

“As vulnerabilidades fiscais – derivadas de grandes índices de dívida pública em relação ao PIB – aumentaram durante a pandemia e devem ser tratadas prontamente”, relataram os diretores do FMI na nota, pedindo medidas de receita e gastos que colocam a dívida pública “em uma firme trajetória de queda”.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas