Físico propõe nova Teoria da Gravidade: A gravidade não existe

Quatro praticantes de snowboarding desafiam a gravidade nas quartas-de-final de uma competição internacional em Telluride, Colorado, EUA, em 17 de dezembro de 2011 (Doug Pensinger/Getty Images)

Muitas pessoas já ouviram a história de quando Newton se sentou debaixo de uma macieira para pensar e de repente uma maçã caiu em sua cabeça e ele concebeu a teoria da gravidade. Mas após um longo tempo, físicos reconheceram que a gravidade era uma lei física muito estranha. Em comparação com outras forças básicas de interação, a gravidade era muito difícil de lidar. Agora, as razões para esta particularidade podem ter sido explicadas: a gravidade não é uma força de interação fundamental, mas pode ser derivada de outra força mais fundamental.

O Prof. Eric Verlinde, de 48 anos, um respeitado especialista na teoria das cordas e um professor de física do Instituto de Física Teórica da Universidade de Amsterdam, propôs uma nova teoria da gravidade, conforme relatado pelo New York Times em 12 de julho de 2010. Ele argumentou num artigo recente, intitulado “Sobre a origem da gravidade e as Leis de Newton”, que a gravidade é uma consequência das leis da termodinâmica. Invertendo a lógica de 300 anos de ciência, sua afirmação é que a gravidade é uma ilusão que causou tumulto contínuo entre os físicos ou pelo menos entre aqueles que professam entendê-la.

“Para mim, a gravidade não existe”, disse Verlinde. Não é que a maçã não cairá no chão, mas o Dr. Verlinde e alguns outros físicos acham que a ciência tem olhado a gravidade de forma errada e que há algo mais básico do qual a gravidade “emerge”, da forma como os mercados de ações emergem do comportamento coletivo de investidores individuais ou da forma como a elasticidade emerge da mecânica dos átomos.

O núcleo da teoria pode ser relevante para a falta de ordem em sistemas físicos. O argumento dele é algo que você poderia chamar de teoria da gravidade do “dia do cabelo ruim”. É algo assim: seus cabelos encaracolam no calor e na umidade, porque há mais maneiras para seu cabelo encaracolar do que para ficar reto e a natureza gosta de opções. Então, é preciso uma força para fazer o cabelo ficar reto e eliminar as opções da natureza. Esqueça o espaço curvo ou a estranha atração descrita pelas equações de Isaac Newton. O Dr. Verlinde postula que a força que chamamos de gravidade é simplesmente um subproduto da tendência da natureza de maximizar a desordem.

A teoria de Verlinde é que a gravidade é essencialmente uma força entrópica. Um objeto que se mova em torno de outros objetos pequenos mudará a desordem em torno dos objetos e a gravidade será sentida. Com base nessa ideia da teoria holográfica, ele pode derivar a segunda lei da mecânica de Newton. Além disso, sua teoria sobre a física de massa inercial também é um novo entendimento.

A pesquisa sobre o universo na ciência moderna baseia-se essencialmente na teoria da gravidade. Se a gravidade não existe, então nossa compreensão da estrutura da galáxia e do universo pode estar errada. Pode ser por isso que os astrônomos frequentemente têm dificuldade para explicar o movimento gravitacional é dos corpos celestes distantes e têm de introduzir o conceito de “matéria escura” para ajudar a equilibrar as equações. Uma nova teoria da gravidade poderia lançar luz sobre algumas das questões cósmicas incômodas que físicos encontram, como a energia escura, uma espécie de antigravidade que parece estar acelerando a expansão do universo, ou a matéria escura, que supostamente é necessária para manter as galáxias juntas. Isso pode estimular cientistas a buscarem uma nova compreensão do universo.

“Sabemos há muito tempo que a gravidade não existe”, disse Dr. Verlinde, “É hora de gritarmos sobre isso.”

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas