Figurões chineses são investigados nos Estados Unidos por negócios fraudulentos

Não é nenhum segredo que a riqueza estatal da China e os recursos nacionais são controlados por poucos membros poderosos e ricos do Partido Comunista Chinês que transferiram sua riqueza para países estrangeiros. Recentemente, um número crescente de bancos de investimento têm estado sob escrutínio das autoridades norte-americanas por contratarem descendentes e parentes de políticos e clientes chineses bem conectados para conseguir negócios na China.

Tendo previsto o aperto da sondagem, muitos da elite chinesa já começaram a mover seu dinheiro no estrangeiro de volta para a China por meio de negócios falsos, o que têm feito os preços dos imóveis subir.

Sondagem se expande para cinco bancos

As poderosas elites chinesas controlam as empresas estatais e grande parte do dinheiro da nação. Em 2012, as empresas estatais e empresas afiliadas foram responsáveis por mais da metade da produção econômica e do emprego na China.

Estas elites dominam o processo de criação de riqueza nacional, tornando a China uma economia de mercado anormal. Ao transferir a enorme quantidade de riqueza que eles abocanham para fora da China, eles têm afetado negativamente a economia global.

Os governos estrangeiros, incluindo os Estados Unidos, têm atentado para este problema. Foi relatado em novembro que os reguladores americanos estão investigando o grande banco de investimento JPMorgan Chase & Co. pela contratação de pessoas bem conectadas as elites chineses (seus descendentes e parentes) como empregados ou consultores, a fim de conquistar negócios na China.

De acordo com o Financial Post: “Se um banco contrata candidatos desqualificados para ajudar a ganhar o negócio de parentes dos empregados, isso pode ser interpretado como suborno segundo a Lei de Práticas Corruptas Estrangeiras dos EUA”.

No entanto, os bancos têm feito isso há anos. As elites da China usam essas posições como canais convenientes para a transferência de bens para fora da China.

As autoridades norte-americanas recentemente expandiram a sondagem para outras grandes empresas de Wall Street. Goldman Sachs Group Inc., Deutsche Bank AG, Citigroup Inc., Morgan Stanley e o Credit Suisse Group AG sediado em Zurique estão sob investigação por suas práticas de contratação no exterior. Os filhos das elites chinesas contratados pelos bancos de investimento serão analisados coletivamente.

Por exemplo, Jiang Zhicheng (Alvin Jiang), sócio da ‘Boyu Capital Investment Adviser’, é neto do ex-líder chinês Jiang Zemin. Boyu levantou dinheiro substancial para investir em empresas financeiras estatais como a China Investment Corporation, Citic Securities Company Ltd., China Development Bank, e também adquiriu ações da empresa Alibaba, uma gigante da internet chinesa.

Em 2012, a DreamWorks Animation dos Estados Unidos criou uma joint venture com empresas chinesas, incluindo a Shanghai Alliance Investment, para construir uma empresa de entretenimento em Shanghai, a Oriental DreamWorks. A Shanghai Alliance Investment Ltd. é dirigida por Jiang Mianheng, o filho de Jiang Zemin.

Grandes somas voltam para a China

Diante da investigação por parte das autoridades norte-americanas, as elites do Partido Comunista Chinês (PCC) fizeram um novo plano de investimentos e começaram a transferir seus ativos para a China, o que explica a grande quantidade de dinheiro quente (especulativo) inundando a China nos últimos meses.

Os bancos da China continuamente não tinham dinheiro suficiente para cobrir a demanda, fazendo com que as taxas de juros subissem e assim criando uma grande oportunidade para o dinheiro especulativo – que busca lucros rápidos – explorar as margens das taxas de juros.

O mercado interbancário da China ainda está no limite e as taxas de juros têm subido a níveis muito mais elevados em comparação com o ano anterior. A taxa Shibor (Shanghai Interbank Offered Rate) subiu para 3,62% em 9 de dezembro de 2013, mas foi de 2,249% em 10 de dezembro de 2012.

A taxa de câmbio do yuan para o dólar americano atingiu um recorde de 6,0715 em 9 de dezembro. No mesmo dia, a taxa média foi de 6,1130, um aumento substancial de 102 pontos em relação ao dia anterior e estabeleceu um novo recorde. A suspeita é que a taxa de câmbio do yuan-dólar americano continue neste ciclo.

Há sinais claros de que o dinheiro quente está sendo transferido para a China por meio de negócios falsos para criar lucros a partir das diferenças nas taxas de câmbio e de juros.

De acordo com o balanço patrimonial do banco central da China, as reservas subiram acentuadamente no final de outubro em 449,5 bilhões de yuanes, em comparação com o final de setembro, o maior aumento em um mês desde janeiro de 2008.

Instituições financeiras estrangeiras estão tendo lucros especulativos na China, porque as taxas de juros baixas nos mercados internacionais têm direcionado o dinheiro para a China, onde as diferenças de taxas de câmbio e de juros geram lucros, segundo Zhao Qingming, um especialista financeiro internacional e professor-adjunto na School of Banking and Finance da University of International Business and Economics.

Negócios falsos, apenas um disfarce

Em novembro, o crescimento da exportação e o superávit comercial foram maiores do que o esperado, e o dinheiro especulativo desempenhou um papel fundamental nisso. Em 8 de dezembro, o serviço aduaneiro chinês emitiu os dados que mostram que o valor total de importação e exportação chegou a 2,27 trilhões de yuanes (c. US$ 373 bilhões) no mês de novembro, e um total de 23,4 trilhões de yuanes (c. US$ 3,85 trilhões) de janeiro a novembro. O superávit comercial mensal superou 208,9 bilhões de yuanes (c. US$ 34,4 bilhões), que foi uma alta de cinco anos.

O superávit comercial de mais de 200 bilhões de yuanes (c. US$ 33,3 bilhões) tem preocupado Pequim. A Administração Estatal de Câmbio emitiu um aviso em maio para reprimir atividades de comércio fraudulentas.

O órgão emitiu outra nota, “Circular da Administração Estatal de Câmbio sobre questões relativas à Perfeição dos Controles de Câmbio no Comércio de Financiamento de Negócios dos Bancos”, em 6 de dezembro, com o objetivo de frear o financiamento comercial falso, que não tem um fundo comercial autêntico, e para evitar os fluxos transfronteiriços anormais de câmbio.

Muitos analistas financeiros acreditam que o momento desta última notificação foi em resposta ao forte aumento dos fundos cambiais. Simplificando, muitas instituições financeiras no exterior estão ganhando dinheiro rápido com o comércio como um pretexto para a arbitragem de divisas, resultando num enorme afluxo de dinheiro quente especulativo.

É de se esperar que os fundos cambiais em novembro ultrapassem os de outubro, proporcionando outra cutucada que alavanca os preços dos imóveis.

Dinheiro especulativo aumenta preços imobiliários

Os preços dos imóveis em disparada na China são impulsionados principalmente pelas políticas do regime chinês, que ajudam os membros do Partido Comunista a obterem grandes lucros com a venda de terras e o investimento dinheiro especulativo.

A moeda estrangeira deve ser trocada pelo yuan chinês antes que possa ser usada para investimento na China. Dados do Banco Central da China mostram que no final do terceiro trimestre de 2013, os fundos cambiais atingiram 27,51 trilhões de yuanes (c. US$ 4,5 trilhões).

Zhang Tingbin, fundador do grupo de reflexão CNYUAN, disse que depois de o dinheiro especulativo ser convertido no yuan chinês, ele vai primeiramente para as instituições financeiras.

Em seguida, os bancos comerciais aumentarão seus esforços de crédito, oferecendo empréstimos que por sua vez aumentarão o preço já alto dos imóveis. A relação entre os bancos comerciais e o mercado imobiliário é que eles estão ligados aos produtos de investimento e fundos de riqueza.

Neste modelo, os agentes imobiliários e especuladores financeiros conseguem o que querem. Especuladores obtêm um retorno anual de 5 a 15%, às vezes até 20%, com lucros adicionais devido à valorização do yuan chinês.

Ao mesmo tempo, os governos locais reduzem a oferta de terras disponíveis. Consequentemente, o preço da terra se elevada com a escassez artificial, resultando no aumento do preço da habitação.

Assim, abreviadamente, os especuladores, agentes imobiliários, bancos e governos locais estão trabalhando perfeitamente em conjunto para elevar os preços dos imóveis e assim repassar os custos adicionais aos compradores de imóveis.

 
Matérias Relacionadas