Fed mostra preocupação com incertezas a médio prazo sobre coronavírus

Por EFE

Washington, 20 maio – O Federal Reserve (Fed) está preocupado com uma “substancial probabilidade de ondas adicionais do coronavírus” sobre a atividade econômica nos Estados Unidos, conforme revelou a ata da última reunião do banco central americano, divulgada nesta quarta-feira.

“Além de pesarem muito na atividade econômica de curto prazo, os efeitos econômicos da pandemia criaram uma incerteza extraordinária e riscos consideráveis a médio prazo”, disse o documento, divulgado três semanas após o encontro.

A possibilidade de novas ondas da pandemia sugere que o banco central manterá as excepcionais medidas de estímulo monetário por algum tempo.

Neste cenário mais pessimista, o Fed prevê “uma nova rodada de restrições mais rígidas às interações sociais e às operações comerciais a partir do final do ano, o que levaria a uma queda do PIB real, um salto na taxa de desemprego e uma renovada pressão descendente sobre a inflação no próximo ano”.

Para atenuar o caos econômico, o Fed lançou todo o seu arsenal monetário, com grandes injeções de liquidez nos mercados financeiros, compras de títulos de dívida e baixou as taxas de juro para quase 0%.

Powell também pediu que o Congresso americano tome medidas fiscais adicionais para lidar com uma “crise sem precedentes”, que já levou mais de 36 milhões de americanos a solicitarem seguro-desemprego.

“É um momento de grande sofrimento e dificuldade, e veio tão rápido e com tanta força que você não pode realmente colocar em palavras a dor que as pessoas estão sofrendo e a incerteza que elas estão enfrentando”, acrescentou.

A próxima reunião do Fed está marcada para os dias 9 e 10 de junho.

 
Matérias Relacionadas