FBI pede à atletas que evitem usar telefones pessoais nos Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim

Comitês Olímpicos de alguns países também aconselharam atletas a utilizar telefones descartáveis ​​enquanto estiverem em Pequim

Por Aldgra Fredly 

O FBI requisitou, na segunda-feira, que os atletas não utilizem telefones pessoais nos Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim de 2022, que começarão na sexta-feira, citando o risco de “atividades cibernéticas maliciosas”.

“O FBI pede a todos os atletas que mantenham seus telefones celulares pessoais em casa e utilizem um telefone temporário enquanto estiverem nos Jogos”, declarou o FBI em um aviso, observando que “não está ciente de nenhuma ameaça cibernética específica contra as Olimpíadas”.

A agência também alertou sobre as “ameaças potenciais” de baixar aplicativos móveis desenvolvidos de “fornecedores não confiáveis” enquanto estiver em Pequim.

“O download e o uso de aplicativos, incluindo aqueles necessários para participar ou permanecer no país, podem aumentar a oportunidade de cibercriminosos roubarem informações pessoais ou instalarem ferramentas de rastreamento, códigos maliciosos ou malware”, afirmou.

O FBI citou os Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang de 2018, quando agentes russos realizaram um ataque cibernético contra a cerimônia de abertura. Eles permitiram o ataque por meio de campanhas de spear phishing e aplicativos móveis maliciosos.

Houve mais de 450 milhões de tentativas de incidentes cibernéticos nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2020 em Tóquio, embora nenhum tenha sido bem-sucedido devido às medidas de segurança cibernética em vigor, afirmou a agência.

“Embora não tenha havido grandes interrupções cibernéticas, os métodos de ataque mais populares utilizados ​​foram malware, falsificação de e-mail, phishing e o uso de sites falsos e serviços de streaming projetados para se parecerem com provedores oficiais de serviços olímpicos”, acrescentou.

O Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos também sugeriu o uso de dispositivos descartáveis ​​em Pequim e a instalação de redes privadas virtuais (VPNs) em dispositivos antes de deixar os Estados Unidos.

“Deve-se presumir que cada texto, e-mail, visita online e acesso a aplicativos podem ser monitorados ou comprometidos”, declarou o comitê em um comunicado.

Os Comitês Olímpicos Nacionais em alguns países ocidentais também aconselharam seus atletas a utilizar telefones descartáveis ​​enquanto estiverem em Pequim devido à potencial “vigilância chinesa”.

O Comitê Olímpico Holandês afirmou que seus atletas receberão dispositivos não utilizados para proteger seus dados pessoais da vigilância chinesa, informou o De Volkskrant.

A Associação Olímpica Britânica afirmou que forneceu aos atletas e funcionários conselhos práticos sobre como levar seus dispositivos pessoais para Pequim e também forneceria dispositivos temporários para aqueles que os quisessem.

Da mesma forma, o ministro do Esporte do Canadá, Pascale St-Onge, afirmou no mês passado que a equipe olímpica do Canadá receberia telefones e cartões SIM para usar em Pequim, pois o governo está “bem ciente da espionagem e de todos esses problemas com a China”, informou a mídia local.

Os comitês suíço e sueco também fornecerão novos dispositivos para suas delegações e os informaram sobre as medidas que podem tomar para garatir a segurança cibernética.

A Reuters contribuiu para esta reportagem.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas