FBI já resgatou 1.305 crianças vítimas de exploração sexual em 2018

Departamento de Justiça também teve como alvo os cidadãos norte-americanos que viajam para o exterior para abusar sexualmente de crianças

Por Jasper Fakkert, Epoch Times

Só este ano, o FBI já resgatou 1.305 crianças vítimas de exploração sexual infantil, afirmou o diretor do FBI Christopher Wray em uma declaração feita em 14 de junho.

A mais nova das crianças resgatadas tem só sete meses de idade.

Todos os anos, milhares de crianças nos Estados Unidos são vítimas de abuso sexual. Em todo o mundo, mais de 1 milhão de crianças estão sendo exploradas sexualmente, segundo estimativas da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Combater a ameaça dos exploradores de menores e libertar crianças abusadas têm sido os pontos-chave da atenção do Departamento de Justiça norte-americano na administração Trump.

Na semana passada, o Departamento de Justiça anunciou que havia prendido mais de 2.300 suspeitos de abuso e tráfico sexual infantil, em uma grande operação em todo o território nacional.

“Qualquer possível criminoso precisa ser avisado: este Departamento continuará sendo implacável na caça daqueles que vitimizam nossos filhos”, disse o procurador-geral Jeff Sessions, em um comunicado divulgado após a prisão dos 2.300 suspeitos.

A exploração sexual infantil teve um forte aumento nos últimos anos, em parte impulsionada pelo acesso fácil que as crianças têm à internet. Os bandidos ganham a confiança dos jovens através do uso de informações pessoais publicadas nas redes sociais.

“É lamentável que os pedófilos estejam online em todos os lugares”, disse o agente especial Greg Wing, que supervisiona um esquadrão cibernético no Escritório de Chicago, em uma declaração anterior do FBI.

“A geração mais jovem quer se expressar, e por isso não se dão conta de quão vulnerável isso os torna”, disse Wing. “Para um pedófilo, informações pessoais são como ouro e podem ser usadas para estabelecer uma conexão e ganhar a confiança de uma criança”.

Nos últimos meses, o Departamento de Justiça também teve como alvo os cidadãos norte-americanos que viajam para o exterior para abusar sexualmente de crianças. Entre os condenados está Paul Alan Shapiro, de 71 anos, aposentado, ex-funcionário de uma concessionária de automóveis que vive em Los Angeles. Shapiro foi condenado a 10 anos de prisão por abusar sexualmente de menores de idade na Tailândia.

 
Matérias Relacionadas