Fauci sugere quando todas as restrições da COVID-19 podem finalmente terminar

Fauci também sugeriu que doses de reforço podem não ser necessárias para todos os americanos

Por Jack Phillips 

O conselheiro da Casa Branca para a COVID-19, Anthony Fauci, afirmou que os Estados Unidos passaram da fase de pandemia “completa” da COVID-19, à medida que mais e mais oficiais sugerem o fim de mandatos e regras.

Falando ao Financial Times, Fauci afirmou que, como não há como eliminar totalmente a COVID-19, doença causada pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), “estamos olhando para um momento em que temos pessoas vacinadas suficientes e pessoas suficientes com proteção por infecção anterior, sendo assim as restrições da COVID em breve serão uma coisa do passado”.

A referência de Fauci à infecção anterior, conhecida como “imunidade natural”, é notável porque, há meses, Fauci e outras autoridades federais de saúde têm impulsionado apenas as vacinas contra a COVID-19 como forma de derrotar a pandemia. No ano passado, durante entrevistas com a imprensa, Fauci muitas vezes subestimou a imunidade natural em favor das vacinas.

Na entrevista de terça-feira, Fauci também sugeriu que as doses de reforço podem não ser necessárias para todos os americanos.

“Vai depender de quem você é”, declarou ele. “Mas se você é uma pessoa normal e saudável de 30 anos, sem condições subjacentes, pode precisar de um reforço apenas a cada quatro ou cinco anos”.

Enquanto isso, em um futuro próximo, a resposta do governo à pandemia será tratada principalmente no nível local, com pouco envolvimento federal. Ele não afirmou especificamente quando as restrições da COVID-19, como mandatos de máscaras ou vacinas, terminariam, mas poderiam ser eliminadas “em breve”, de acordo com o Financial Times.

“À medida que saímos da fase de pandemia total da COVID-19”, afirmou Fauci ao jornal. “O que certamente estamos deixando de lado, então, essas decisões serão cada vez mais tomadas em nível local, em vez de decididas ou mandatadas centralmente. Também haverá mais pessoas tomando suas próprias decisões sobre como querem lidar com o vírus”.

Seus comentários ocorrem quando vários estados liderados por democratas, como Califórnia, Nova Jersey, Delaware e Nova Iorque, decidiram rescindir os mandatos de máscaras em todo o estado, embora alguns municípios tenham optado por mantê-los. Algumas autoridades federais, incluindo a diretora dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Rochelle Walensky, também são a favor do mascaramento em certas configurações.

“Continuamos a endossar o mascaramento universal nas escolas”, afirmou Walensky à Reuters nesta semana, acrescentando que as autoridades federais “continuarão a recomendar o mascaramento em áreas de transmissão alta e substancial – que está essencialmente em todo o país em ambientes públicos fechados”.

Um aumento recente nos casos da COVID-19 alimentados pela variante Ômicron caiu na maior parte dos Estados Unidos nos últimos dias. As hospitalizações pelo vírus do PCC também caíram significativamente nas últimas duas semanas, de acordo com dados federais.

As medidas para aliviar simultaneamente a retórica quanto a COVID-19 e encerrar certas restrições ocorrem apenas alguns meses antes das eleições de meio de mandato de 2022, já que os democratas possuem maiorias escassas nas duas casas do Congresso. Uma pesquisa do dia 31 de janeiro de Monmouth descobriu que pelo menos 70% dos americanos concordam que “é hora de aceitarmos que a COVID está aqui para ficar”.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas