Farmacêutico condenado a 3 anos por adulteração de vacinas COVID-19

Por Jack Phillips

Juiz federal condena farmacêutico de Wisconsin a três anos de prisão depois que ele confessou ser culpado de acusações de adulteração das vacinas COVID-19 .

Steven Brandenburg, que era um farmacêutico baseado em Grafton, assinou confissão de culpa em 9 de fevereiro, admitindo que havia removido centenas de doses da vacina contra o vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) da Moderna de refrigeradores no Aurora Medical Center em dezembro de 2020. Em uma declaração do Departamento de Justiça , ele removeu as vacinas com a intenção de destruí-las.

Antes de receber sua sentença em 8 de junho, Brandenburg disse em um comunicado que sentiu “uma grande vergonha” e assumiu a responsabilidade.

“Eu não tinha o direito de tomar essa decisão por eles”, disse. “Estou atormentado por isso diariamente.”

O DOJ afirmou que Brandenburg se confessou culpado de duas acusações de tentativa de adulterar produtos de consumo, sem levar em conta o risco de que outra pessoa corresse o risco de morte ou lesão corporal.

Brandenburg “propositalmente removeu uma caixa de frascos de vacina COVID-19” que devem ser armazenados em determinadas temperaturas.

De acordo com o comunicado, Brandenburg disse que deixou as vacinas por várias horas todas as noites antes de devolvê-las ao armazenamento refrigerado quando entrou na clínica de vacinas do hospital no dia seguinte. Cinquenta e sete pessoas receberam doses da vacina desses frascos.

“A tentativa proposital de estragar as doses da vacina durante uma emergência nacional de saúde pública é um crime grave”, declarou o procurador-geral adjunto em exercício Brian M. Boynton da Divisão Civil do DOJ. “O Departamento de Justiça continuará trabalhando com seus parceiros de aplicação da lei para salvaguardar essas vacinas que salvam vidas.”

Brandenburg enfrentou possíveis 10 anos de prisão e uma multa de US$ 250.000 para cada condado que cometeu crime. Os promotores pediram uma sentença de três anos e cinco meses de prisão.

Documentos judiciais afirmam que Brandenburg disse acreditar que a Terra é plana, que os ataques de 11 de setembro foram simulados e que ele é um profeta.

O advogado Aurora Health, que opera o Aurora Medical Center, disse em um comunicado aos meios de comunicação que condena as ações de Brandenburg.

“Com a segurança sempre sendo nossa prioridade, continuamos avançando após as ações desprezíveis desse indivíduo. Desde esse incidente, nosso bem-sucedido programa de vacinação continuou com mais de 700.000 doses administradas até o momento ”, afirmou a empresa.
 
Matérias Relacionadas