O fantástico óleo de coco que esculpe a cintura das mulheres

Um estudo demonstrou que suplementos alimentares e óleo de coco podem resultar na redução da circunferência da linha da cintura e em outros benefícios.

Um ensaio clínico randomizado duplo-cego com 40 mulheres divididas em dois grupos – um recebeu suplementos diários de molho de soja (grupo S) e outro recebeu uma quantidade similar de óleo de coco (grupo C). Ambos os grupos foram instruídos a seguir uma dieta hipocalórica equilibrada e caminhar por 50 minutos todos os dias.

De acordo com o estudo:

“[Depois de uma semana] apenas o grupo “C” exibiu redução [na circunferência da cintura]… O grupo “S” apresentou um aumento… no colesterol total, no “LDL” e na proporção LDL:HDL, enquanto que o “HDL” diminuiu… Tais alterações não foram observadas no grupo “C”. Parece que essa suplementação dietética com óleo de coco não causa dislipidemia e parece promover a redução da obesidade abdominal.”

Este é um bom exemplo de como muitas teorias sobre nutrição podem estar seriamente equivocadas.

A gordura saturada tem sido injustamente vilificada como causa de colesterol alto e doenças do coração nos últimos 60 anos, quando, de fato, o contrário foi sempre verdade.

O resultado das pessoas seguirem conselhos equivocados e substituirem gorduras saturadas (como óleo de coco) por óleos polinsaturados, como óleos vegetais (tal como o óleo de soja) está refletido nas estatísticas atuais das doenças de coração. Antes de 1920, a doença coronária era bastante rara.

Em 1950 as taxas começaram a subir ao mesmo tempo em que aumentou o consumo de óleos vegetais hidrogenados (gorduras trans), que substituíram gorduras saturadas como a manteiga e a banha de porco, que tinham sido a norma em décadas anteriores.

Porque o óleo de coco é “especial” entre as gorduras saturadas

Agora falando acerca do óleo de coco, uma jóia rara entre as gorduras saturadas, com numerosos benefícios à saúde. Em primeiro lugar, você sabia que múltiplos estudos nas ilhas do pacifico onde as populações obtêm de 30 a 60% da sua ingestão de calorias totais a partir de óleo de coco saturado demonstram níveis inexistentes de doenças cardiovasculares?

O óleo de coco pode ajudar mulheres grávidas, mães que amamentam, idosos, aqueles preocupados com o sistema digestivo, atletas (mesmo os “guerreiros” de fim de semana) e aqueles de vocês que apenas querem melhorar o vosso estado geral de saúde. Uma das explicações para a sua ampla aplicação para a saúde é devido à sua riqueza em ácido láurico, que se converte no corpo em monolaurina – um composto também encontrado no leite materno e que fortalece o sistema imunilógico do bêbê.

Os seus ácidos graxos de cadeia média ou triglicerídios (MCTs) também trazem vários benefícios à saúde, incluindo aumento do metabolismo orgânico e sua capacidade anti-infecciosa contra vírus, bactérias e fungus. O ácido cáprico, outro ácido graxo do coco, presente em pequenas quantidades, é outro componente anti-infeccioso.

O óleo de coco é também excelente para a sua tireoide. Adicionalmente, uma descoberta recente muito excitante é que o óleo de coco pode até servir como tratamento natural para a Doença de Alzheimer, porque os MCTs são também uma fonte primária de corpos cetônicos, que agem como uma fonte alternativa de combustível para o cérebro, o que poderá ajudar a prevenir a atrofia do cérebro ligada à demência.

Leia também:
• Óleo de coco é mais eficaz do que antidepressivos
• Kefir de água de coco: uma bebida altamente salutar
• Descubra quais probióticos são certos para você

Estudos prévios confirmam: o óleo de coco ajuda a perder gordura

Voltando por um momento aos resultados no estudo apresentado, achados prévios também mostraram que os ácidos graxos de cadeia média (MCT’s), presentes no óleo de coco, promovem perda de peso e são úteis, em especial, para a perda de gordura adiposa. Um desses estudos demonstrou que ratos alimentados com ácidos graxos de cadeia longa (LCT’s – encontrados em óleos de vegetais), acumularam gordura corporal, enquanto que ratos alimentados com MCT’s (encontradas em óleo de coco) reduziram a gordura corporal e melhoraram a sensibilidade à insulina e a tolerância à glicose. Em particular, descobriu-se que os MCT’s podem regular inibitoriamente a expressão dos genes adipogênicos.

Outro estudo de 2003 descobriu que os MCT’s aumentam o gasto de energia e diminuem a adiposidade nos homens com excesso de peso, uma conclusão similar à descoberta do estudo acima. Neste, 24 homens com excesso de peso consumiram dieta rica em MCT ou LCT durante 28 dias, e aqueles que consumiram MCT’s perderam mais peso e tinham mais energia que aqueles que consumiram LCT’s (neste caso azeite, ao invés de óleo de soja)

Óleo de coco e colesterol

A maior parte dos avisos convencionais sobre o óleo de coco e colesterol são falsos e induzem ao erro. O óleo de coco tem se mostrado benéfico, em vez de prejudicial, em relação aos níveis de colesterol e à saúde do coração. Como explicado em um artigo prévio, escrito por Ray Pete, tem sido confirmado há já 80 anos que a supressão da tiroide aumenta o colesterol sérico (e aumenta a mortalidade devido a infeções, câncer e doenças do coração), enquanto que normalizar os hormônios tiroideanos leva o colesterol aos níveis normais.

Como mencionei anteriormente, o óleo de coco faz ambos: equilibra a tiroide e normaliza o nível de colesterol.

“Tanto quanto a evidência demonstra… o óleo de coco adicionado a uma dieta equilibrada, baixa o colesterol para o nível normal, promovendo a sua conversão em pregnenolona,” ele escreve. “Culturas que comem coco nos trópicos possuem níveis de colesterol consistentemente mais baixos do que as pessoas nos E.U.A”

Mary Enig, da Weston A Price Foundation, também escreveu muito sobre os efeitos benéficos do óleo de coco para a saúde do coração e para os níveis de colesterol.

Prontos para fazer a mudança?

De modo geral, as comidas que provavelmente contêm gorduras trans – prejudiciais à saúde – incluem alimentos fritos, assados processados, salgadinhos, comidas processadas e fast-food. Além do óleo de soja, outras variedades a serem evitadas incluem óleo de milho e óleo de canola, por isso, estejam certos de que leem os rótulos quando vão às compras. Se querem evitar gorduras perigosas de todos so tipos é melhor eliminar comidas processadas de sua dieta. Baseado nisso, use estas dicas para estar certo de que come as gorduras certas para a sua saúde:

· Use óleo de coco orgânico para todas as sua necessidades culinárias. É muito superior a qualquer óleo e está cheio de benefícios à saúde. Tenha certeza de que escolhe um óleo orgânico de coco que não é refinado, não branqueado, produzido sem processamento por calor ou químicos, e que não contenha ingredientes transgénicos.

· Use manteiga orgânica (preferencialmente feita de leite cru) em vez de margarinas ou produtos à base de óleos vegetais. A manteiga é uma comida integral saudável que recebeu má reputação indevidamente.

· Faça questão de comer gorduras cruas, tais como as que são feitas de abacate, produtos derivados do leite cru e azeite, e também ingira comida com alta qualidade de omega-3 animal, tal como óleo de krill.

Seguindo o meu plano completo de nutrição você irá também reduzir a sua ingestão de gorduras trans, pois lhe proporcionará um foco dirigido para os alimentos integrais e saudáveis, ao invés de junk food processada.

 
Matérias Relacionadas