Falun Dafa é bem recebido nos festivais comunitários em Melbourne, Austrália

Eventos incluíram os seguintes festivais: um organizado pelo Conselho da Cidade de Knox , o Festa Global no Box Hill Gardens e o Warrandyte Festival

Por Minghui.org

Recentemente praticantes do Falun Dafa participaram de três festivais comunitários em Melbourne, a segunda cidade mais populosa da Austrália. Em março quando o tempo começa a esfriar com a chegada do outono, muitos festivais são realizados em Melbourne.

Esses eventos incluíram os seguintes festivais: um organizado pelo Conselho da Cidade de Knox em 2 e 3 de março de 2019, o Festa Global no Box Hill Gardens em 17 de março e o Warrandyte Festival organizado pelo Conselho Municipal de Manningham em 23 e 24 de março.

Festa Global no Box Hill Gardens (Minghui.org)
Festa Global no Box Hill Gardens (Minghui.org)

Pare a perseguição

Martin Nilsen, que trabalha para o governo australiano, disse que há alguns meses tinha ouvido falar sobre o Falun Dafa em um evento. Ele considerou a repressão do Falun Dafa, especialmente a extração forçada de órgãos de praticantes vivos, inaceitável e bárbara.

Ele disse que o fato dos médicos da China matarem alguém para obter uma parte do corpo para vender era apavorante. “Eu não sou uma pessoa religiosa, mas isso é terrível”, disse ele. Nilsen esperava que os governos aprovassem leis para proibir o turismo de transplante de órgãos. Ele elogiou os esforços dos praticantes para aumentar a conscientização sobre a brutalidade e acreditava que algum dia a perseguição chegaria ao fim.

Com os valores morais degenerados na sociedade, Nilsen achou os princípios da Verdade Compaixão e Tolerância fascinantes, pois nos guiam para nos tornarmos pessoas melhores. Ele disse que os praticantes deveriam ir a mais eventos como esse para promover esses valores.
Uma sociedade melhor

Saji, um morador de Box Hill trabalha para uma empresa de impressão. Ele disse que se mais e mais pessoas acreditassem nos princípios do Falun Dafa, Verdade Compaixão e Tolerância, o mundo se tornaria um lugar melhor, o que também se aplica aos jovens e às futuras gerações. “Eles (princípios) são coerentes com os valores tradicionais e todos se beneficiariam com eles”.
Uma questão importante que envolve a todos

Effendy, gerente de projetos de uma empresa financeira, mora em Melbourne há 21 anos. Ele aceitou alguns materiais de um praticante e assinou a petição para ajudar a parar a perseguição na China.

“Eu acho horrível o que o partido comunista chinês fez. É inacreditável que a extração forçada de órgãos esteja acontecendo. Eu considero isso um genocídio”, disse ele.

O Senado australiano publicou um relatório de inquérito e forneceu 12 recomendações sobre como impedir o tráfico de órgãos no exterior. Effendy aplaudiu o progresso e acha que esta foi uma boa iniciativa. “Nós definitivamente deveríamos fazer isso acontecer”, disse ele.

Effendy espera que o governo australiano faça mais. “Isso está relacionado a valores humanos básicos e todos estão envolvidos”, disse ele.
Uma vida pacífica

Keana, que trabalha em vendas em Knox, conversou com uma praticante chamada Barbara sobre a prática do Falun Dafa. Impressionada pelos princípios da Verdade-Compaixão-Tolerância, ela acredita que aderir a eles traria uma vida positiva e pacífica aos praticantes.

Barbara sofreu um acidente em 2002. Ela estava trabalhando em um andaime de madeira a 7 metros de altura quando perdeu o equilíbrio e caiu no chão. Além de outros ferimentos, seus joelhos e mãos também foram esmagados, seus dentes foram arrancados e ela ficou com uma visão embaçada.

Por causa da recomendação de alguns amigos ela começou a praticar o Falun Dafa enquanto estava hospitalizada. Rapidamente ela se recuperou e as doenças anteriores também desapareceram.

Keana decidiu experimentar a prática pelos benefícios físicos e espirituais. “Acho que esses princípios nos ajudarão a entender melhor as outras pessoas e a lidar melhor com as coisas”.

Ela assinou a petição pedindo à China para acabar com a perseguição e disse que contaria para outras pessoas sobre isso. “A perseguição deve ser interrompida”, disse ela, acrescentando: “Toda voz conta!”

 
Matérias Relacionadas