Facebook removerá postagens com afirmações sobre vacinas que considerar falsas

Por Jack Phillips

O Facebook anunciou na segunda-feira que removerá as postagens com alegações de vacinas que as organizações de saúde ou seus verificadores de fatos considerem falsas.

“Hoje, estamos expandindo nossos esforços para remover falsas alegações no Facebook e Instagram sobre COVID-19 , vacinas [contra] COVID-19 e vacinas em geral durante a pandemia”, disse um post do gigante da mídia social, e acrescentou: “Desde dezembro, removemos as alegações falsas sobre as vacinas de COVID-19 que foram desacreditadas por especialistas em saúde pública”.

“Hoje, após consultas com as principais organizações de saúde, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estamos expandindo a lista de alegações falsas que removeremos para incluir alegações adicionais desacreditadas sobre coronavírus e vacinas”, disse o Facebook em um blog.

A OMS foi criticada no ano passado por supostamente administrar mal o surto do vírus do Partido Comunista Chinês (PCC) , levando o ex-presidente Donald Trump a retirar o financiamento da organização das Nações Unidas. Desde então, tem havido mais e mais pedidos de investigação sobre a origem do vírus, que teria surgido em Wuhan, China, em 2019.

O Facebook acrescentou que “começará a aplicar esta política imediatamente”, acrescentando que terá como alvo editores, grupos e contas que violam suas regras.

“Também exigimos que alguns administradores de grupo, juntamente com administradores ou membros que violaram nossas políticas devido à COVID-19, aprovem temporariamente todas as postagens de seu grupo. Reivindicações sobre COVID-19 ou vacinas que não violam essas políticas ainda serão elegíveis para revisão por nossos verificadores externos de fatos e, se forem pontuadas como falsas, serão marcadas e removidas”, disse a empresa. Um dos principais verificadores de fatos do Facebook é a Lead Stories , uma empresa que recebeu financiamento por meio do Facebook, Google e do proprietário da TikTok, ByteDance, que tem ligações com o regime chinês.

O Twitter anunciou em dezembro que também começaria a marcar e remover postagens relacionadas à vacina contra o vírus do PCC que considera falsas.

Tanto o Facebook quanto o Twitter foram criticados nos últimos anos pelo que os críticos disseram ser uma tentativa de censurar as pessoas que expressam opiniões fora da narrativa da mídia. No mês passado, as contas de Trump no Twitter, Facebook e outras plataformas de mídia social foram suspensas – o que gerou protestos de grupos conservadores e de liberdades civis .

E separadamente neste mês, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, disse em uma teleconferência que a empresa com sede em Menlo Park, na Califórnia, começará a cortar postagens políticas.

“Também estamos considerando medidas que podemos tomar para reduzir a quantidade de conteúdo político no Feed de notícias”, disse Zuckerberg, acrescentando que está tentando criar programas para “permitir que as pessoas participem de grupos políticos e discussões, se quiserem”.

“Um dos comentários mais importantes que estamos ouvindo de nossa comunidade agora é que as pessoas não querem a política e lutam para controlar sua experiência em nossos serviços”, acrescentou. “Portanto, um tema para este ano é que continuaremos a nos concentrar em ajudar milhões de pessoas a participarem de comunidades saudáveis ​​e nos concentraremos ainda mais em ser uma força para unir as pessoas”.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas