Facebook permite ameaças de morte contra personalidades de direita em lista negra, afirma ex-moderador

Várias personalidades de direita foram colocadas nessa lista, mas não havia personalidades ou grupos de esquerda nela

Por Petr Svab

O Facebook permite ameaças de morte contra pessoas e grupos que coloca em uma lista negra especial, disse um ex-moderador de conteúdo do Facebook. Várias personalidades de direita foram colocadas nessa lista, mas não havia personalidades ou grupos de esquerda nela, disse ele. Não está claro se o Facebook mudou sua política em relação às ameaças desde que o moderador perdeu o emprego em fevereiro.

O Facebook tem uma regra contra ameaças de morte, que também são ilegais e não são cobertas pelas proteções da Primeira Emenda.

Mas em julho do ano passado, o Facebook atualizou sua política de conteúdo para adicionar uma exceção para permitir “ameaças que poderiam levar à morte (e outras formas de violência de alta gravidade)” contra pessoas e grupos que a empresa coloca em sua lista de “Indivíduos Perigosos” e organizações”.

Além de grupos como o Ku Klux Klan e indivíduos ligados ao nazismo, o Facebook também colocou na lista pessoas como o comentarista populista Paul Joseph Watson, o apresentador do InfoWars Alex Jones e a ativista conservadora Laura Loomer.

Watson publicou na época dezenas de exemplos de ameaças, incluindo ameaças de morte, que ele disse que recebeu no Facebook.

Após uma reação pública em torno de 9 a 10 de julho, o Facebook silenciosamente removeu a exceção “Indivíduos perigosos” da versão publicamente disponível de sua política.

Mas essa mudança nunca foi comunicada aos moderadores de conteúdo do Facebook e, na prática, a exceção permaneceu em vigor, de acordo com Zach McElroy, que costumava trabalhar como moderador de conteúdo do Facebook na Cognizant, empresa contratada pelo Facebook para executar parte de seu conteúdo manual de moderação.

“A verdade é que eles nunca mudaram isso para os moderadores … a política é tal que, sim, você ainda pode fazer essas postagens sobre violência”, disse ele ao Epoch Times por telefone.

McElroy foi demitido em fevereiro, junto com todos os outros moderadores de sua equipe no escritório da Cognizant em Tampa, na Flórida.

Ele não soube dizer se a política mudou desde então.

McElroy disse que moderadores como ele receberam a lista de organizações e indivíduos perigosos do Facebook. Ele percebeu que não havia personalidades de esquerda nem grupos de extrema esquerda na lista.

O Facebook não respondeu a uma solicitação de comentário. Seus funcionários declararam anteriormente, inclusive durante depoimentos no congresso, que sua plataforma não favorece um ponto de vista político em detrimento de outro.

McElroy expôs sua história pela primeira vez ao Projeto Veritas, uma organização sem fins lucrativos de jornalismo investigativo. Em um vídeo do Veritas lançado em 23 de junho, ele disse que pelo menos um algoritmo do Facebook parecia projetado para sinalizar conteúdo predominantemente de direita.

Além disso, ele e vários repórteres disfarçados da Veritas registraram secretamente vários moderadores do Facebook falando sobre viés político no policiamento de conteúdo, deles próprios ou observados em outros.

Vários moderadores foram registrados dizendo que estavam removendo qualquer conteúdo que fosse conservador ou apoiando o presidente Donald Trump, mesmo que o conteúdo não viole a política do Facebook.

McElroy observou que parte da razão pela qual os moderadores em seu escritório estavam fazendo isso e falando abertamente sobre isso foi que eles souberam em novembro que todos seriam demitidos. Sua percepção era de que pelo menos alguns dos moderadores já estavam fazendo isso antes saberem da demissão.

McElroy disse que, ao compartilhar sua história, ele está quebrando um acordo de não divulgação que assinou na Cognizant. Ele disse que não sabe qual a penalidade que poderia enfrentar. Ele criou uma página do GoFundMe para pessoas que gostariam de apoiá-lo.

Siga Petr no Twitter: @petrsvab

Você sabia que somos independentes?
O Epoch Times é independente de qualquer influência de empresas, governos ou partidos políticos. Nosso único objetivo é levar aos leitores informações precisas e ser responsáveis ​​perante o público.

Estamos trabalhando dia e noite para cobrir o surto de vírus do PCC para você. Doar tão pouco quanto uma xícara de café ajudará a manter nossa mídia em funcionamento.

Ajude-nos agora doando um ‘CAFÉ’ para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas