Publicado em - Atualizado em 13/01/2018 às 5:51

Exposição Internacional da Arte Zhen-Shan-Ren recebe Moção de Aplausos em Americana-SP

A pintura "O júbilo do cultivo" de Zhang Kunlun, 2007

A pintura "O júbilo do cultivo" de Zhang Kunlun, 2007

A Câmara Municipal de Americana, no estado de São Paulo, concedeu uma Moção de Aplausos à exposição internacional da Arte de Zhen-Shan-Ren (Verdade-Benevolência-Tolerância), que foi realizada entre os dias 13 de novembro a 2 de dezembro de 2017 nas dependências da Câmara.

As cenas retratadas nos quadros exibidos são inspiradas nas experiências de vida dos artistas, eles próprios praticantes do Falun Dafa exilados da China e, quase todos, sobreviventes da perseguição promovida pelo regime comunista chinês desde 1999 contra a disciplina espiritual do Falun Gong, como também é conhecida essa prática antiga e tradicional de meditação.

Para coagir os adeptos a abandonarem suas crenças, o regime chinês tem praticado as mais graves violações dos direitos humanos, incluindo uma diversidade de métodos brutais de tortura e até mesmo a extração forçada de órgãos de pessoas vivas, de maneira massiva e sistemática, para abastecer a altamente lucrativa indústria chinesa de transplante de órgãos e o fenômeno de “turismo de transplante” na China, crimes hediondos sem precedentes e que ainda ocorrem no país.

A exibição é constituída de 22 pinturas de estilo realista de 18 proeminentes artistas chineses da Academia de Artes Fei Tian, sediada em Nova York, que retratam a jornada do Falun Dafa na China, desde seu surgimento, passando pelo período de sua grande popularidade no país, até o início da repressão estatal e, finalmente, as atividades pacíficas de seus adeptos em expor ao mundo a perseguição do regime e em perseverar e defender sua liberdade de crença. As obras já passaram por mais de 80 países e 200 cidades ao redor do mundo. No Brasil, já foram vistas por mais de 200 mil pessoas, em universidades e principais centros culturais.

O vice-presidente da Associação Falun Dafa no Brasil, Luiz Gilberto Maia, celebrou a ótima receptividade do público e também destacou a importância do papel dos políticos e autoridades na defesa dos direitos humanos.

“Uma vez que o tema central é a perseguição de pessoas em seus direitos básicos de expressão, crença e reunião, os políticos podem ser de grande auxílio no combate a essas atrocidades que ocorrem atualmente na China e implicam diretamente o Brasil no tocante ao turismo de órgãos, isto é, brasileiros que viajam à China para receber transplantes sem conhecer a origem desses órgãos”, explicou Gilberto.

O vereador Marco Antonio Alves Jorge (Kim), autor da Moção, escreveu:

“Parabenizamos os organizadores dessa belíssima exposição, onde podemos conhecer um pouco mais da história chinesa e suas culturas. Sabemos o quão importante é entender história e civilizações. Desejamos, assim, que essa exposição possa percorrer mais e mais países, levando a sabedoria e o crescimento para cada um que puder compreendê-la.”

Leia também:
Perseguida em seu país e proibida de ver sua mãe, ela se recusa a se calar (Vídeo)
Carta aberta ao povo de Xangai
Exposição internacional de arte na Alesp retrata jornada do Falun Gong

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016