Excesso de drogas na pecuária da China provoca perigosa resistência a antibióticos

Porcos a caminho de um mercado na cidade de Jiaxing, província de Zhejiang, China (Peter Parks/AFP/Getty Images)
Porcos a caminho de um mercado na cidade de Jiaxing, província de Zhejiang, China (Peter Parks/AFP/Getty Images)

Enquanto o uso de fazendas industriais de carne aumenta na China, os cientistas estão preocupados que o problema de bactérias resistentes a antibióticos possa representar um risco à saúde mundial. Mais da metade dos antibióticos na China são dados ao gado, segundo um estudo recente.

A demanda por carne suína tem aumentado na China e metade dos porcos do mundo está na China. Suinocultores rotineiramente adicionam antibióticos à ração de seus animais para estimular o crescimento e reduzir o risco de doença, mas eles não são obrigados a informar a quantidade de antibióticos que usam, segundo a mídia online The World.

O The World entrevistou funcionários numa grande fazenda comercial de porcos na cidade de Jiaxing, província de Zhejiang, onde os porcos eram alimentados e criados num grande prédio fechado. O gerente se recusou a dar entrevista.

No entanto, uma funcionária concordou em falar, mesmo sem permissão. “É preciso alguns meses aqui para que os porcos cresçam o suficiente para venda. Os porcos são alimentados com materiais realmente bons”, disse ela, segundo o The World.

Os antibióticos podem fazer os porcos crescerem mais rapidamente, mas o uso excessivo de antibióticos pode levar ao desenvolvimento de bactérias resistentes a medicamentos.

Cientistas da China e dos Estados Unidos realizaram um estudo no ano passado sobre o estrume de porco de fazendas comerciais na China. Como esperado, eles encontraram um grande número de bactérias resistentes a drogas. Mais surpreendentemente, eles descobriram que diferentes genes resistentes a drogas podem aglomerar-se em blocos em torno de um tipo de bactéria para outra, produzindo bactérias resistentes a múltiplas drogas.

Estes patógenos difíceis de matar podem se espalhar para os seres humanos. “O grande problema é que a resistência pode ser transferida para os seres humanos e também podem ser transferida globalmente pela exportação ou importação de alimentos”, disse o Dr. Xiao Yonghong da Unidade de Investigação de Resistência Antibacteriana do Ministério da Saúde da China, segundo o The World.

A China não é o único país com este problema. A mídia online Mother Jones informou que a China está apenas seguindo os passos dos Estados Unidos, uma vez que metade dos antibióticos na China são usados para o gado, enquanto os Estados Unidos utilizam 77% para o gado.

Mas é difícil comparar dessa forma, pois as pessoas na China usam 10 vezes mais antibióticos per capita que as pessoas nos Estados Unidos, segundo Mother Jones. “A criação suína chinesa está mudando rapidamente”, afirma Mother Jones, citando um estudo do banco holandês Rabobank, mostrando que, entre 2001 e 2010, o número de porcos de fazendas industriais aumentou, enquanto o número de suínos de pequenas fazendas familiares caiu pela metade.

 
Matérias Relacionadas