Ex-prefeito de Nova Iorque responsabiliza China pelo que aconteceu com Trump

Negligência do regime chinês diante do vírus contribuiu para a pandemia global

Por Ivan Pentchoukov

O ex-prefeito de Nova Iorque Rudy Giuliani disse no domingo que considera a China responsável pelo contágio do presidente Donald Trump com o vírus do Partido Comunista Chinês (PCC), comumente conhecido como o novo coronavírus.

Giuliani, o advogado pessoal do presidente, fez o comentário em uma entrevista à Fox News em 4 de outubro.

“Não fique paralisado, por favor, nossa economia tem que voltar pelo bem de nossos filhos”, disse Giuliani, referindo-se a como os americanos devem lidar com o risco do vírus.

“Nos afirmamos como a nação mais poderosa da Terra, porque senão, você sabe quem vai fazer isso? O país que nos atacou: China; e eles nos atacaram com isso, acredite em mim”, disse Giuliani. “Eu os considero responsáveis ​​pelo que aconteceu anteontem com meu presidente e com todos os outros”.

O surto do vírus do PCC começou em Wuhan, na China, no final de 2019. As tentativas do PCC de encobrir o contágio e a negligência geral do regime contribuíram para a pandemia global. Trump regularmente se refere ao vírus como o “vírus da China”.

O presidente disse que os Estados Unidos farão a China pagar um preço “muito elevado” por seu papel na pandemia, mas as ações oficiais até agora se limitaram à proibição de viagens, a fim de conter a disseminação da doença, e suspensão das negociações comerciais.

“Há muitas maneiras de responsabilizá-los”, disse Trump em 27 de abril. “Não estamos felizes com a China, não estamos felizes com toda essa situação. Porque pensamos que poderia ter parado na fonte, poderia ter parado rapidamente e não teria se espalhado por todo o mundo”.

Giuliani disse que conversou com o presidente no sábado por 35 a 40 minutos sobre sua saúde e política. Trump transmitiu as mensagens de Giuliani para sua equipe de campanha eleitoral para a reeleição.

“Tive que desligar o telefone, para que ele voltasse e descansasse. Ele disse que adoraria sair o mais rápido possível”, relatou o advogado.

“Ele sente que poderia sair agora. Ele disse que se sentiu muito mal no primeiro dia, está se sentindo, agora nas últimas 24 horas – e isso foi às 3 horas de ontem – está se sentindo perfeitamente bem, sem febre, um pouco cansado mas não muito cansado. Para ele, sentir-se um pouco cansado não é nada”.

Antes do teste do presidente ser positivo, Giuliani passou horas em uma sala com Trump e duas outras pessoas que também tiveram resultado positivo: Kellyanne Conway, assessora da Casa Branca e o ex-governador de Nova Jersey Chris Christie. Giuliani disse que testou negativo para o vírus na sexta-feira e planeja fazer o teste novamente na segunda-feira.

O ex-prefeito de Nova Iorque disse à Fox News que aconselhou Trump a ouvir os médicos e fazer uma pausa na campanha presidencial, enquanto apoiadores e aliados o substituem na corrida.

“Aqueles de nós que o amam e se preocupam com ele nos dão vontade de chorar ao pensar no que eles fizeram a ele. Todos os dias que ele está na Casa Branca, eles tentam tirá-lo de lá. Desde o dia em que começou até agora. Na semana passada, Nancy Pelosi quis desafiá-lo porque ele nomeou a juíza [Amy Coney] Barrett ”, disse Giuliani, mencionando a presidente da Câmara.

“Esse homem foi torturado e conquistou mais do que qualquer outro presidente que eu me lembre, então talvez ele tenha direito a um pouco de descanso, e eu disse: ‘Você tem muitos amigos, todos me ligam, todos querem sair e te ajudar. Você sabe, não podemos fazer campanha tão bem quanto você, mas podemos fazer campanha’”, disse Giuliani.

Siga Ivan no Twitter: @ivanpentchoukov

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas