EUA testarão medicamento para artrite reumatoide em pacientes com Covid-19

Por EFE

Washington, 14 abr – O Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos (NIAID) autorizou o início do teste em humanos do medicamento Baricitinib, utilizado em pacientes com artrite reumatoide severa, com possíveis efeitos secundários contra a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

A informação foi divulgada nesta terça-feira pela companhia farmacêutica americana Eli Lilly and Company.

A empresa anunciou que chegou a um acordo com o NIAID para iniciar a pesquisa ainda neste mês, embora, a ficha técnica do medicamento advirta que, ao administrá-lo, existe o risco do desenvolvimento de graves infecções.

A inclusão de mais um teste faz parte de uma força-tarefa do instituto para comprovar a viabilidade do uso de vários fármacos para uso em pacientes infectados com o novo coronavírus.

A agência do governo iniciou, ainda em fevereiro, o teste com o antiviral Remdesivir, da companhia americana Gilead Sciences. Ao todo, 400 pacientes foram testados com o medicamento ou com placebo, e o resultado das análises deverão ser divulgadas nas próximas semanas.

No caso do Baricitinib, a Eli Lilly and Company aponta que a expectativa é ter as primeiras conclusões do NIAID em cerca de dois meses. A companhia, no entanto, não divulgou os detalhes do teste.

O medicamento está aprovado em mais de 65 países, para o tratamento em pacientes adultos da artrite reumatoide de moderada a severa, embora na Europa, seja indicado que os pacientes tenham tido uma resposta prévia inadequada a um ou mais fármaco antirreumático.

 
Matérias Relacionadas