EUA retiram mais da metade de suas tropas do Afeganistão

Por Agência EFE

Os EUA já retiraram mais da metade de suas tropas do Afeganistão , já que o prazo de 11 de setembro para concluir a retirada total se aproxima, confirmou o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, na quinta-feira .

Austin garantiu em uma audiência do Comitê de Serviços Armados do Senado dos Estados Unidos que a retirada das tropas americanas no Afeganistão “continua em ritmo acelerado”, depois que o Pentágono informou que mais de 50% das tropas já estão fora do país asiático.

“O presidente (Joe Biden) deixou claro que nossa missão no Afeganistão foi cumprida e estamos focados em retirar nosso pessoal e equipamento”, insistiu Austin, que testemunhou perante aquele comitê senatorial sobre a proposta de orçamento de defesa do presidente dos Estados Unidos.

Desde que Biden ordenou a saída do Afeganistão em abril passado, o Departamento de Defesa retirou o equivalente a aproximadamente 500 cargas de material C-17, de acordo com as últimas estimativas semanais do Comando Central do Exército dos EUA (Centcom).

Ao todo, o Exército dos EUA tem a tarefa de remover 2.500 soldados, 16.000 contratados civis e centenas de toneladas de equipamentos que estavam dentro do Afeganistão até a data de 11 de setembro, que marca o 20º aniversário dos ataques da Al-Qaeda em Nova York e Washington.

Questionado pela senadora democrata Jeanne Shaheen sobre se o Pentágono poderia intervir com caças ou drones no Afeganistão caso Cabul corresse o risco de cair nas mãos do Talibã, como noticiou o New York Times nas últimas horas, Austin evitou confirmar essa estratégia.

No entanto, ele disse que os EUA planejam estacionar algumas tropas e equipamentos nos países vizinhos, embora tenha garantido que as negociações a esse respeito “ainda estão em andamento”.

Além disso, o chefe do Pentágono explicou que dentro da solicitação de orçamento para o departamento que lidera estão 3,3 bilhões de dólares para o Fundo das Forças de Segurança do Afeganistão (ASFF, na sigla em inglês).

“Isso garantirá nosso apoio contínuo para manutenção, infraestrutura, equipamentos e requisitos de treinamento para o pessoal de segurança afegão”, justificou Austin.

A guerra no Afeganistão começou em outubro de 2001 com a missão de caçar o líder da Al Qaeda Osama Bin Laden – o “mentor” dos ataques de 11 de setembro daquele ano e que morreu em uma operação dos Estados Unidos no Paquistão em 2011- e punindo o Talebã que lhe deu refúgio.

A guerra tirou a vida de 35.000 a 40.000 civis afegãos e cerca de 2.300 soldados americanos, de acordo com um projeto de pesquisa da Brown University em Rhode Island.

No total, a proposta de orçamento do Departamento de Defesa da Administração Biden totaliza US $ 715 bilhões para o ano fiscal de 2022.

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 

 
Matérias Relacionadas